thumbnail Olá,

Nossa lista dos melhores jogadores de 2010-11 continua com o chileno, cujas performances pela Udinese fizeram o Barça pagar para tê-lo na sua equipe

Bem vindo ao Goal.com 50! Nessa série especial, editores de Goal.com ao redor do mundo votam para escolher os 50 melhores jogadores de 2010-11. Nós mostramos a lista até o anúncio do vencedor, no dia 21 de agosto, com perfis de cada um que ficou entre os 50 melhores...

O simples fato que o Barcelona gastou 37.5 milhões de euros pela sua compra nesse verão é prova o suficiente que Alexis Sanchez foi um dos melhores jogadores da última temporada. Seu ritmo veloz, sua corrida destemida e sua confiança em frente ao gol ajudou a Udinese a chegar na terra prometida da Champions League, além de garantir um número incontável de fãs em todo mundo.

O chileno foi um dos muitos jogadores da Udinese que lutaram para sobreviver após o time perder as quatro primeiras partidas. Ele mesmo encontrou-se rebaixado ao banco em três jogos consecutivos, quando Francesco Guidolin procurava a melhor fórmula para montar para recuperar o seu time. No entanto, Sanchez logo estava de volta entre os onze titulares, e foi regularmente um dos melhores jogadores, enquanto o alvinegro retomou o caminho das vitórias na Série A.

"Eu o conheço [Sanchez] há algum tempo, ele é um grande jogador e seria uma ótima contratação para nós, porque acrescentaria muito ao nosso time."

- Lionel Messi

Com a influência do rápido atacante começou a crescer, o Bianconeri fez o seu caminho ao topo da tabela, estando entre os oito primeiros quando se aproximava a virada de ano, embora Sanchez só tenha marcado um gol até o jogo contra a Lazio, na última rodada antes do natal. De repente, as excelentes performances de Alexis trasnformaram-se em gols. Após chegar às redes na derrota por 3 a 2 no Estádio Olímpico, seus gols acrescentariam para sua corrida destemida em direção aos corações das defensas adversárias, catapultando a Udinese até o grupo de classificação para a Champions League.
MOMENTO DA TEMPORADA

SERIE A
PALERMO 0-7 UDINESE
Os quatro gols, que incluiram pedaladas e dribles no goleiro adversário, levaram a Udinese à maior vitória da Série A.

Outros gols nos três pirmeiros jogos de 2011 contra Chievo, Milan e Genoa declararam sua intenção de ter grande importância na ascensão do time, e também atraíram atenções de todos os lugares. Foi durante aquele 4 a 2 contra o Genoa que o Barcelona foi visto pela primeira vez observando Sanchez pelo Goal.com, e o chileno raramente olhou pra trás.

Ele marcou o gol da vitória em uma disputada partida fora de casa contra a Juve, jogo no qual foi expulso, mas, de volta da suspensão na semana seguinte, voltou às redes contra a Sampdoria no estádio Stadio Friuli. Com seu ritmo elétrico agora provando ser de suma importância para o ataque da Udinese, existia uma crença na Itália que alguém pagaria muito para levar o jogador, e que Sanchez estaria no centro disso.

Palermo provou ser a vítima mais infeliz contra o time preto e branco na temporada, e Sanchez, mais uma vez, foi o homem por trás da massacre. Quatro gols do chileno nos primeiros 49 minutos de jogo ajudou a colocar os visitantes em uma posição que permitiu a eles freiar nos momentos finais do jogo, a ponto de substituir o camisa sete após o seu quarto gol no jogo. Suas duas pedaladas, antes de marcar o segundo gol, contra o time de Salvatore Sirigu foram o highlight da atuação.

Depois de marcar novamente no próximo jogo fora — outra goleada, 4 a 0 contra o Cagliari — Sanchez não conseguiu encontrar as redes mais uma vez, quando batalhou frente a uma lesão. Mas estava de volta para jogar e fazer a sua parte na ascensão da equipe, com uma importante assistência na crucial vitória contra a Lazio, antes de segurar o campeão Milan na rodada final para garantir a sua vaga na Champions League.

"Com seu ritmo elétrico agora provando ser de suma importância para o ataque da Udinese, existia uma crença na Itália que alguém pagaria muito para levar o jogador, e que Sanchez estaria no centro disso."

Durante o tempo em que viajou para a Argentina com seu time na Copa América, não era segredo que um acordo estava sendo construído para levá-lo ao Bracelona. Sanchez conseguiu deixar os rumores de lado, marcando um vital gol de empate contra o campeão Uruguai, ajudando o Chile a alcançar as quartas de final com uma campanha invicta, antes de cair na fase seguinte para a Venezuela.

Como esperado, quando retornou para a Europa foi para assinar com os campeões do continente, uma recompensa justa para magníficos 12 meses, que também o viram avaliado como sétimo  melhor jogador da temporada 2010-11 no mundo pelo Goal.com 50.

Relacionados