thumbnail Olá,

Português deixa mais uma vez no ar se está feliz ou não no momento atual e faz ressurgir especulações sobre sua continuidade nos Blancos.

Dia festivo na Espanha e dia de festejos no futebol espanhol, que coroou os melhores da temporada passada, em cerimônia comandada pelo Diário Marca. Cristiano Ronaldo, entre eles como vencedor do prêmio Di Stéfano de melhor jogador do último campeonato nacional. Título merecido, vencendo Messi e Iniesta na disputa, ao contrário do que aconteceu nas eleições da FIFA e da UEFA nos últimos meses.

E o mais procurado pelos repórteres na entrega dos prêmios, o luso deixou no ar algum suspense quando perguntado se estava feliz nos dias atuais. Uma dúvida do camisa 7 que é um calafrio na espinha de todos os torcedores do Real Madrid. Não trata somente disso: Ronaldo é a estrela da companhia; é ele o maior dos pilares que sustentam a estrura técnica e financeira do milionário clube merengue. Ao lado de Casillas, Sergio Ramos e do próprio técnico Mourinho, Cristiano é imprescindível. E a questão da 'felicidade' do artilheiro faz tremer até o último ladrilho do Santiago Bernabéu.

O português é um motor que, na base da quebra de recordes individuais e autossuperação, se tornou um verdadeiro líder no Real Madrid, que veste a faixa de capitão e ganhou o reconhecimento de todos os madridistas, assim como o respeito da comunidade global. Mais do que em anos anteriores e muito mais do que em setembro, quando disse estar infeliz por motivos profissionais. Certamente ele demorou apenas alguns segundos para pensar e dar a resposta, mas foram segundos suficientes para tornar novamente duvidosa sua situação no clube.

"A felicidade é interior, não exterior. Não depende do que temos, e sim do que somos", diria o escritor americano Henry Van Dyke. E ainda que parecesse que Ronaldo estava mais integrado do que nunca, quem pode saber se o luso segue se sentindo desconfortável em Madrid, por motivos que só ele conhece, sendo os mesmos ou não dos proclamados em setembro. O que seria um fracasso consumado de todos os membros do clube desde então. É que a felicidade de Cristiano tem se mostrado a felicidade do Real Madrid. Para o bem e para o mal.

*Por Alberto Piñero do Goal Espanha

Relacionados