Messi e CR7 têm cérebros hiperativos, segundo estudo

Astros do futebol espanhol são capazes de ativar áreas pouco comuns do cérebro, segundo aponta um estudo da Universidade de Brunel, em Londres.

Não somente a Espanha, a rivalidade do “El Classico” ou as disputas pela Bola de Ouro unem o argentino Lionel Messi e o português Cristiano Ronaldo. Um estudo da Univerdade de Brunel, em Londres, afirma que ambos os craques possuem cérebros hiperativos, capazes de acionar áreas pouco comuns e antever a ação dos adversários. O resultado disso é visível em dribles desconcertantes e lances realmente incríveis.

"Os jogadores mais habilidosos são capazes de suprimir a vontade de reagir puramente por instinto, o que não os expõe às tentativas de intervenção dos seus adversários", indica o estudo.

A Universidade de Brunel teve acesso ao desempenho de 39 atletas, entre profissionais e amadores, e a intenção do seu estudo é encontrar um método do treinar conscientemente o cérebro para se antecipar aos movimentos reais.