thumbnail Olá,

Brasileiro sugeriu que reclamações de Mourinho após semifinal de 2011 contra o Barça, apitada pelo mesmo árbitro de ontem, podem ter influenciado as decisões de Wolfgang Stark

Daniel Alves foi um dos jogadores do Barcelona a expressar sua insatisfação com a arbitragem do alemão Wolfgang Stark. O brasileiro mostrou-se inconformado com a não marcação do impedimento de Ibrahimovic no primeiro gol do PSG, e lembrou que Stark foi o mesmo juiz que apitou a semifinal entre Barça e Real Madrid há dois anos, o que, ele acredita, pode ter influenciado as suas decisões.

"Estamos aqui para opinar, como a maioria das pessoas. Não temos que ficar quietos, porque no fim você fica com cara de idiota e isso não é bom. As pessoas que estão de fora tem que sair e protestar, pedir explicações. Não é possível que um impedimento de dois metros não seja visto, mas nós não podemos reclamar. Logo dirão que nós somos chorões e que nos queixamos. Não somos retardados," desabafou Daniel ao jornal AS.

Logo depois, o lateral foi questionado sobre a pressão de Mourinho após a semifinal de 2011. Daniel concordou, mas preferiu não se alongar.

"Quando um árbitro está pressionado, ele fica condicionado. Mas, deixemos de falar sobre o árbitro, pois o futebol é jogado. Quando falamos deles, é porque fizeram algo de errado, mas não nos queixamos. São coisas pontuais, mas que influenciam na partida."

Apesar dos protestos, Daniel garantiu que o Barcelona vai levantar o troféu.

"Os protestos acabam influenciando a arbitragem. Começam a pensar que, se apitarem uma coisa e não apitarem outra, vão agradar aos treinadores. Penso que ontem eu sofri uma falta como a que o Pepe me fez no Bernabéu. Porém, como foi o Dani Alves, ator, então não foi nada. Como não quebrei nada, não marcaram, afinal eu sou um ator. Mas, no final, a taça da Champions estará com o Barça e uma réplica na minha casa. Isso que importa. A não ser que nos roubem," encerrou.

Relacionados