thumbnail Olá,

Equipe espanhola não fica de fora das quartas de final da Champions League desde 2007-08 e mantém invencibilidade de quatro anos no Camp Nou

Por Tauan Ambrosio

Antes da partida de volta entre Barcelona e Milan, pelas oitavas de final da Champions League, muitos já acreditavam que os italianos haviam garantido passagem para a fase seguinte após a vitória por 2 a 0 no San Siro. O melhor Barcelona da história, comandado em campo por Messi, Xavi e Iniesta, não parecia mais ser tão temido quanto antes.

Depois de um início de temporada avassalador, principalmente no Campeonato Espanhol, o Barça pareceu sentir o baque do drama vivido pelo seu técnico, Tito Vilanova, que teve uma recaída do câncer na glândula parótida (localizada aproximadamente entre a mandíbula e a orelha) e desde o dia 22 de janeiro está fazendo tratamento em Nova York.

No cargo por "força maior", Roura viu o Barcelona ficar desacreditado

O auxiliar Jordi Roura assumiu a equipe, mas sua chegada (ou melhor, a saída de Vilanova) marcou o início de uma crise técnica e até psicológica do time que é considerado por muitos como “o melhor do mundo”. Se quando o sorteio da fase eliminatória havia acontecido, os espanhóis eram grandes favoritos diante de um irregular Milan, já não eram mais às vésperas do confronto de ida, que seria realizado em Milão.

A derrota por 2 a 0 para o Milan, seguida pela eliminação na Copa do Rei para o Real Madrid, além de outra derrota diante do maior rival em jogo desta vez válido pelo Campeonato Espanhol, parecia anunciar o fim de uma era vitoriosa. O próprio Daniel Alves reconheceu que Messi estava desanimado em campo.

Muitas viradas históricas foram lembradas na tentativa de levantar o ânimo blaugrana. Uma delas, inclusive, recente. Na temporada 1999-00, contando com toda a classe de Rivaldo, o Barcelona se classificou mesmo tendo perdido o primeiro jogo por 3 a 1 para o Chelsea. No entanto, desta vez, contra o Milan, não tinha sequer gol fora de casa para alimentar as esperanças. Além do mais, nos nove jogos de Messi contra times italianos, o camisa 10 havia marcado somente três gols... e todos de pênalti.

Desanimado? Messi brilha contra o Milan e conduz o Barça às quartas de final

O fim desta “Era barcelonista”, entretanto, ainda não veio. Isso porque o time catalão deu um baile no Milan na terça-feira: venceu por 4 a 0, com show de um animadíssimo Messi (dois gols) e se classificou para as quartas de final da Champions League. Desde a temporada 2007-08, os Culés sempre passam das oitavas de final.

Quando ajeitou a bola e bateu, com extrema rapidez e perícia, para abrir a contagem aos 5 minutos do primeiro tempo, Messi atingia duas marcas: seu gol mais rápido feito na Champions League; e o seu 57º no torneio europeu, número que o fez superar Van Nistelrooy (56 gols). Agora, o argentino está somente atrás de Raul (71) na artilharia total da maior competição europeia. Ah, também foi seu primeiro gol com a bola rolando em cima de adversários italianos. Ainda no primeiro tempo, La Pulga, como o camisa 10 também é carinhosamente chamado, voltou a balançar as redes. David Villa e Alba completaram o placar.

  MARCAS ATINGIDAS CONTRA O MILAN

TEMPO
c

O gol marcado logo aos 5 minutos foi o mais rápido feito por Messi na Champions League

ARTILHARIA


Messi chegou a 58 gols na Champions e ultrapassou Van Nistelrooy, que fez 56. O único na frente de Messi é Raúl, maior artilheiro do torneio, com 71 gols

Classificado, o Barcelona pode focar totalmente na Champions League (o título espanhol está praticamente garantido). Tito Vilanova deve retornar à Catalunha no final deste mês. O time apontado como “melhor do mundo” voltou a se comportar como tal e depois desta vitória contra o Milan voltou a ser temido.

Uma sucessão de acontecimentos que deixa qualquer torcedor blaugrana otimista, ainda mais levando-se em conta que o Barça não perde no Camp Nou desde 2009 pela Champions League. Ninguém sabe se o Barcelona será o campeão europeu em 2013, mas seu reinado ainda não terminou.

Relacionados