thumbnail Olá,

Kris Voakes, o correspondente do Goal em Brasília, fala sobre as primeiras impressões ao chegar no país-sede para a Copa das Confederações

Por Kris Voakes
De Brasília

O Brasil está prestes a sediar a Copa das Confederações, mas não parece estar totalmente preparado. Quando o magnífico estádio for visto ao redor do mundo na tarde de sábado, muitos perguntarão se todas as notícias que correram, sobre atrasos e problemas de infraestrutura, realmente tinham razão de ser. No entanto, a verdade corre em um nível bem mais profundo do que a impressão inicial.

Após a coletiva de imprensa (na sexta-feira), me perdi no Estádio Mané Garrincha e, quando me dei conta, estava andando pelas áreas VIP da arena. Encontrei setores ainda em construção, e operários mexendo em cabos elétricos a menos de 24 horas para a bola rolar para Brasil x Japão, sem falar em outras áreas que eram apenas salas enormes, sem nada dentro. Ou o 'esqueleto' do estádio é grande demais para o que planejaram para ele, ou a ideia para estes espaços ainda não foram exatamente definidas. Obviamente, a segunda afirmação é a resposta.

DISCURSO OFICIAL
Ministro do Esporte Aldo Rebelo segue confiante no sucesso do torneio
O protesto da sexta-feira de manhã fora do estádio também mostra que as pessoas de Brasília ainda não estão preparadas para a Copa das Confederações. O dinheiro, que preferiam ver gasto com os pobres e necessitados, será utilizado para bancar novas obras do estádio, tentando solucionar a sensação de incompletude que se tem ao andar pelos grandes vazios da arena.

Em geral, o serviço dos voluntários é mais do mesmo que se vê em toda a grande competição. Moradores locais, muitos deles hábeis em línguas estrangeiras, estão à disposição para ajudar com as demandas, mas o pesadelo logístico dos trajetos confusos das construções próximas ao estádio levam as pessoas a fazer perguntas que os mesmos voluntários não sabem responder, sem antes buscar ajuda com a FIFA ou com o COL.

O layout das instalações de bilheteria, credenciamento de imprensa e Centros de Imprensa ao redor do estádio não foram bem planejados, mas, com sorte, as autoridades irão acolher o parecer daqueles que usam tais estruturas para tentar resolver os problemas, com vistas ao grande evento do ano que vem.

Relacionados