thumbnail Olá,

Diretor de futebol afirma que decisão de se desvincular partiu

O diretor de Futebol do Flamengo, Zinho, deu entrevista coletiva no fim da tarde desta terça-feira (06.11), no CT George Helal, para falar sobre a saída do atacante Adriano do clube. O dirigente disse que a decisão do desligamento partiu do próprio Adriano, antes mesmo que a diretoria do Flamengo e o próprio jogador chegassem a um consenso.

"Eu queria que o Adriano estivesse aqui comigo para falar com vocês (imprensa). Eu queria ter conversado pessoalmente com ele na sexta-feira para saber porque ele chegou a esta decisão, mas ele estava muito chateado com problemas particulares, fora futebol. Ele me disse que ia a São Paulo e nós conversaríamos na segunda-feira, mas esse encontro não aconteceu. Eu disse que o ideal seria que ele viesse aqui bater um papo, se despedir dos companheiros, seria bom para o Adriano isso", explicou Zinho, revelando ter sido pego de surpresa ao saber, através de nota divulgada pela assessoria do Imperador - da qual Zinho classificou como uma atitude equivocada - que ele não treinaria mais no Flamengo em 2012.

Zinho fez questão de ressaltar o carinho e a amizade que nutre por Adriano como pessoa, entretanto, lembrou que na condição de dirigente do Flamengo, não pôde aceitar mais as ausências e indisciplinas do jogador, que na semana passada chegou a sua quinta falta desde que retornou ao Flamengo, no dia 22 de agosto. O dirigente destacou também que o Flamengo proporcionou a Adriano uma estrutura adequada para sua recuperação.

"As três primeiras ausências já davam direito ao Flamengo de rescindir o contrato, mas pelo objetivo pessoal de recuperar o ser humano tentamos novas regras. Impusemos a ele acompanhamento profissional na parte psicológica, mas isso não foi cumprido em nenhum momento e ainda houve as faltas. Tem todos profissionais envolvidos, médicos, preparadores físicos, auxiliares... todo mundo quer o bem dele, mas ele tem que querer primeiro", completou.

Relacionados