thumbnail Olá,

Jackson, Fred e Cassiano marcam em partida que não contou com os principais nomes das duas equipes. Jô perdeu pênalti no final.

Seleção Brasileira, suspensão e lesões. Muitos foram os motivos que impediram as principais estrelas de Internacional e Atlético Mineiro de participarem da partida desta quarta-feira.

Sem seus craques, porém, o Inter lançou mão da garotada para bater o vice-líder por 2 x 0 e manter vivo o sonho de vaga na Libertadores.

O resultado leva o Colorado aos 45 pontos, a cinco do Vasco da Gama, último integrante do G4. Já o Galo vê a diferença para o Fluminense aumentar. Agora, são nove pontos.

Desentrosamento e jogo morno

A falta que fazem os principais jogadores foi sentida por colorados e atleticanos desde o primeiro minuto. Os dois times demonstravam total desentrosamento, errando muitos passes.

Cauteloso, o Galo jogava recuado, tentando sair em contra-ataque com Bernard e Marcos Rocha. O maior tempo de bola no pé fez o Inter encontrar-se mais cedo na partida. Cassiano e Nei apareciam em velocidade pela direita e levaram perigo ao gol de Giovanni.

Aos 7 minutos, o atacante cruzou mal, mas o camisa 1, substituindo o titular inconteste Vitor, soltou e quase que a bola se ofereceu para Rafael Moura marcar.

Pouco a pouco, o time do Internacional foi variando suas jogadas e as oportunidades apareceram. Aos 23, Fred cruzou e Rafael Moura, nas costas da zaga, cabeceou no contrapé do goleiro, que fez grande defesa.
Em seguida, Josimar arriscou de longe e forçou Giovanni a mais uma boa intervenção.

Justamente quando os gaúchos viviam seu melhor momento na partida, o Atlético resolveu dar o ar da graça. Guilherme começou a distribuir bem o jogo e, aos 33 minutos, colocou Escudero na cara do gol.

Contudo, o atacante demorou para bater e, já todo atrapalhado, ainda tentou um corte sobre Muriel, que não resultou em nada.

Melhor em campo, o alvinegro falhava muito no momento do passe e, com Bernard sozinho pela esquerda, o jogo não fluiu a ponto de ameaçar a meta do Internacional.

Inter manda no segundo tempo

No intervalo, Fernandão sacou o mais uma vez inoperante Dátolo para a entrada de Lucas Lima. Com a mudança no meio, o Internacional ganhou em velocidade e o jogo com Fred e Cassiano ficou facilitado.
O Atlético também atacava, porém, muito desorganizado, não conseguia concluir as jogadas. O isolado Jô brigava muito, sem produzir quase nada.

Buscando ainda mais rapidez, o técnico do Colorado colocou Dagoberto no lugar de Rafael Moura, ainda fora de forma. Por sua vez, Cuca trocou Guilherme, melhor em campo pelo Galo, pelo lateral-direito Carlos César, desequilibrando a equipe.

Minutos depois das substituições, o primeiro gol do Inter. Giovanni afastou cruzamento de Lucas Lima, mas a bola sobrou com Jackson. Na entrada da área, o zagueiro limpou a marcação e bateu firme, no alto, para abrir o placar.

A vantagem deixou o time vermelho mais solto e as jogadas passaram a se suceder. Aproveitando os espaços deixados por Júnior César, Cassiano recebeu de Josimar e mandou na trave, aos 29.

Aos 40, porém, nem a trave salvou o Galo. Dagoberto tocou de cabeça para Fred, dentro da área. O meia deu corte seco em Rafael Marques e bateu de biquinho, na saída de Giovanni.

Para completar a festa colorada, um prêmio para Cassiano. Cumprimentando levantamento de Dagoberto na pequena área, o camisa 19, disparado o craque do jogo, deixou o seu para fechar o caixão atleticano.
Sem deixar dúvidas da tragédia mineira, Jô ainda desperdiçou cobrança de pênalti, aos 44 minutos, em defesa com o pé de Muriel.



Relacionados