thumbnail Olá,

Jogador, que subiu das categorias de base, ainda não marcou pela equipe profissional

O menino Nixon Darlanio Reis Cardoso, natural de Juazeiro, na Bahia, tem apenas 20 anos de idade e já carrega sobre os ombros uma imensa responsabilidade. A de trazer alegria a 40 milhões de torcedores rubro-negros.

Com os pés no chão, literalmente, o atacante tenta driblar a ansiedade e sabe que tem que ter calma para poder atuar com desenvoltura com o Manto Sagrado. Ele afirma que os companheiros tem lhe oferecido apoio necessário e conselhos muito válidos desde que foi integrado ao elenco.   
 
"Considero que estou bem adaptado ao grupo. Já tem um tempo que estou treinando com eles (profissionais) e a cada dia meu entusiasmo aumenta. É claro que eu tenho muito a melhorar ainda, mas estou aqui para aprender e aproveitar ao máximo essa oportunidade", disse o camisa 30, com humildade.

O colega Léo Moura é quase um ‘padrinho’ e é um dos jogadores do elenco que Nixon tem mais afinidade, amizade conquistada desde as catagorias de base.

"O Léo é como um irmão, é cristão, assim como eu, e tenho amizade com ele há um bom tempo, desde quando eu jogava na base", revelou Nixon, garantindo que apesar de ter o corte de cabelo parecido com o de Léo Moura, qualquer semelhança é apenas mera coincidência.

"Todo mundo fala que meu corte é parecido com o dele, mas eu já tinha o cabelo assim, não imitei ele não (risos)".

O camisa 30, que foi promovido da base para o time principal no dia 13 de agosto deste ano, entrou em campo nas partidas contra Ponte Preta, Grêmio e Fluminense, e, nesta última, quase marcou golaço de cabeça, no fim da segunda etapa. Feliz em jogar no time de coração, ele não vê a hora de balançar as redes pela primeira vez na equipe principal. Nixon garante que até mesmo já sonhou com o momento.

"Só de pensar eu já começo a sorrir. Há muito tempo que eu venho buscando isso. Contra o Grêmio e contra o Fluminense eu quase fiz gol. Às vezes eu penso: ‘poxa, aquela bola poderia ter entrado’. Eu fico sonhando acordado, imaginando como será o gol, na expectativa de dar alegria a esta Nação, aos meus companheiros e à comissão técnica. Creio que o momento está próximo", prevê.    

Relacionados