thumbnail Olá,

Atacante disse que não sair pela porta da frente em um clube dá uma gana a mais na hora de enfrentá-lo por outra equipe

A torcida do Flamengo preparava uma recepção hostil para Ronaldinho Gaúcho neste sábado, mas o péssimo estado do gramado do Engenhão fez o confronto entre o Rubro-Negro e o Atlético-MG, atual líder do Campeonato Brasileiro, ser adiado para uma data ainda não definida.

Afim de evitar polêmicas maiores, a diretoria do Galo proibiu R49 de conceder entrevistas e, por isso, sobrou para outros jogadores responderem em nome do meia-atacante.

De acordo com Jô, um dos mais próximos do antigo flamenguista, a pressão não seria muito sentida pelo companheiro. O centroavante relembrou que esta não seria a primeira vez na carreira do antigo jogador da Seleção Brasileira, o qual viveu situação semelhante quando foi a Olímpico denfrontar o Grêmio:

- Eu acho que o Ronaldo tem bastante experiência em relação a isso. Quando ele estava no Flamengo, enfrentou o Grêmio e viveu uma situação de pressão. No meu modo de ver, ele jogou até bem. Sem dúvida, a vontade que ele tinha de jogar (contra o Fla) era grande. Quando um jogador não sai pela porta da frente em um clube e o enfrenta depois, sempre dá uma gana a mais - afirmou Jô, apostando em uma vontade maior por parte do companheiro em fazer uma boa partida.

Curiosamente, o atacante perdeu ótima oportunidade de sentir o gosto do que sugeriu aos jornalistas sobre Ronaldinho Gaúcho. No. último final de semana, o Atlético enfrentou o Internacional no Beira-Rio, antiga casa do jogador, que não atuou por estar suspenso.

Em Porto Alegre, ele teve uma péssima passagem e sua movimentada vida extra-campo foi motivo de polêmica.
 

Relacionados