thumbnail Olá,

Com discurso coletivo, Seedorf convoca torcida para estreia e admite friozinho na barriga

Com a estreia marcada para este domingo, o holandês Clarence Seedorf, falou em entrevista coletiva nesta sexta-feira e ressaltou o sonho que é estar iniciando mais esta fase de sua carreira no Brasil, e falou em conquistar títulos pelo clube.

“Ainda falta muito para o final do ano, mas, nesses três jogos que assisti, o time mostrou capacidade de ser competitivo. E, agora, vou poder ajudar também para tentar realizar esse sonho que seria a conquista do Brasileiro”, disse Seedorf.

“Seria um sonho ver esse estádio cheio. Acredito que todos os jogadores gostariam de ver essa torcida que é maravilhosa encher o estadio não só por um jogo, mas por todo campeonato, para nos apoiar neste sonho que temos. Seria maravilhoso. Em todos os times onde joguei, a torcida faz a diferença”, lembrou.

Apesar de carreira vitoriosa, Seedorf admite friozinho na barriga por estreia

Aos 36 anos e com passagens vitoriosas por Real Madrid, Milan e Ajax, entre outros, Seedorf já participou de grandes jogos em sua carreira. Apesar da experiência, o camisa 10 fez questão de não esconder a ansiedade por vestir a camisa do Botafogo pela primeira vez em uma partida oficial.

“Tem que ter esse friozinho na barriga. Senão é uma coisa que não funciona. Esse friozinho que cria a motivação, que traz essa paixão para dentro do campo. Ao mesmo tempo, a experiência serve para eliminar a tensão. A vontade de vencer, ajudar, a torcida, tudo isso ajudará”, revelou o jogador.

Um dos poucos mistérios que ainda cercam a estreia de Seedorf neste domingo é a função que o meia exercerá em campo. Afinado com Oswaldo de Oliveira, o holandês prefere aguardar a decisão do treinador sobre o posicionamento que terá na partida contra o Grêmio.

“Vou deixar para o Oswaldo falar. A coisa mais importante é que o time jogue. Não é o Seedorf que jogará sozinho. É o time que faz a diferença. Contra o Corinthians foi assim e fizemos um bom jogo. O foco é sempre o time”, deixou claro o camisa 10 alvinegro, que prometeu muita vontade em campo.

“Minha mentalidade é que o jogador tem que dar o máximo a cada jogo. Não sei por quantos minutos posso jogar neste domingo, mas vou procurar dar tudo que tenho no tempo que estiver em campo”, garantiu o craque.

Com jeito carioca, Seedorf já se sente em casa 

Já totalmente adaptado ao estilo de vida carioca, Seedorf revelou que o afeto que já guardava pelo Brasil dos tempos que passava férias com a família só cresceu nos últimos dias.

“Na vida, o que você dá, você recebe. O Brasil me deu muita coisa. Não digo somente agora, mas nos dez anos que passei férias aqui. Se o sentimento já era grande, agora foi multiplicado por dez o afeto”, disse Seedorf, que ainda não ganhou um apelido dos companheiros. “Não tenho ainda. Mas vai chegar, com certeza. É uma coisa bem brasileira”, contou, aos risos.

Ao ser questionado sobre o nível que espera encontrar no futebol brasileiro, o craque ressaltou a qualidade dos jogadores do país.

“Eu não vim aqui para dizer no que o Brasil tem que melhorar, mas para jogar. O Brasil tem muitos talentos. Na Europa, os brasileiros geralmente são os melhores jogadores de seus times. O nível não é mais baixo, mas diferente. Tenho que aprender e jogar, porque futebol, no final, é a mesma coisa, a gente fala com o pé”, resumiu.

Com sua estreia mais que confirmada, Seedorf encara o Grêmio às 18h30 deste domingo, pela 11º rodada do Brasileiro.

Fonte: Site oficial do Botafogo

Relacionados