thumbnail Olá,

Celso Roth tem a dura missão de arrumar um grande com perspectivas pouco animadoras na temporada

MAIS UMA RENOVAÇÃO DE COMANDO


Depois de um início de ano que sugeria perspectivas melhores, o Cruzeiro voltou a mostrar sérios problemas e continua preocupando seu torcedor. As eliminações precoces na Copa do Brasil e no Campeonato Mineiro evidenciam uma equipe bastante limitada, um erro que o presidente Gilvan Tavares herdou de Zezé Perrella e ainda não conseguiu corrigir.

Apesar de contar com alguns bons valores, Vágner Mancini jamais conseguiu criar uma identidade à equipe celeste. O clube não sabe o que é tranquilidade desde o ano passado, quando brigou durante todo o Brasileirão contra o rebaixamento, e deve iniciar a competição com perspectivas apenas de permanecer na elite.

A chegada do recém-anunciado Celso Roth é o início da mudança que precisa ocorrer imediatamente em Belo Horizonte. O gaúcho é conhecido por amenizar crises e desenvolver bons trabalhos a curto prazo com elencos limitados, mas também não pode ser visto como um milagreiro. Um clube do tamanho da Raposa precisa ter um elenco à sua altura, que lhe permita brigar por coisas maiores.

ELE NUNCA FOI TÃO IMPORTANTE


É certo dizer que o grande acerto do Cruzeiro para 2012 foi a manutenção de sua grande estrela e referência técnica. Ainda que não repita as melhores atuações com frequência, o argentino Montillo é a peça fundamental para o ataque do Cruzeiro funcionar.

Habilidoso, veloz e vertical, o camisa 10 dá dinâmica ao setor ofensivo, tanto nos contragolpes quanto na busca pelo tabelamento, abrindo espaços para sua própria finalização. A bola parada continua uma de suas virtudes, e responsabilidades, que podem levar a equipe adiante.

A queda de rendimento do meia, porém, deve ser associada ao contexto mais geral do time celeste. Além da confiança em baixa, Montillo ainda tenta firmar a parceria de sucesso com Roger, expectativa que ainda não se concretizou em Belo Horizonte.

O SÍMBOLO DA RECUPERAÇÃO


Uma das grandes esperanças traduz o espírito de superação vivido pela própria equipe. Wallyson há pouco retornou de uma longa lesão, mas pode fazer muito pela Raposa caso consiga retomar seu melhor nível.

No ano passado, o veloz atacante encantou com belas atuações e gols, tanto na Copa Libertadores quanto no Campeonato Mineiro. Ao contrário da maior parte dos atacantes disponíveis no elenco, ele possui qualidades que o tornariam um titular incontestável no time que se redesenha.

O CRUZEIRO BRIGA POR...

...PERMANÊNCIA NA SÉRIE A.

Pode até ser que Celso Roth proporcione algo melhor ao Cruzeiro no decorrer de seu trabalho. Mas, até que se prove o contrário, o elenco disponível permite que se projete apenas mais uma temporada de luta contra o descenso. Com dois ou três reforços indiscutíveis, talvez, o futuro seja um pouco mais promissor para o torcedor celeste.

Relacionados