thumbnail Olá,

O presidente do Atlético-MG insiste que a final aconteça no Independência

O presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil, não concorda com a decisão da Conmebol de colocar o segundo jogo da final da Libertadores no Mineirão. O dirigente argumenta que o adversário não possui um estádio com a capacidade exigida pelo regulamento, por isso o Galo cobra direitos iguais e quer decidir no Independência.

"Se o jogo for para o Mineirão, não tem regra. O Defensores Del Chaco não tem 40 mil lugares. O Independência também não. O regulamento está aqui e ele não está sendo respeitado. Tem de haver isonomia", disse Kalil em entrevista ao jornal Folha de São Paulo.

Segundo Kalil, não é a primeira vez que acontece erro contra equipes brasileiras e uma atitude precisa ser tomada. O dirigente conta com o apoio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para conseguir mudar o palco do jogo.

"Chega de roubalheira. Nós fomos prejudicados aqui contra o Newell's Old Boys, o Corinthians foi prejudicado aqui. Se continuar essa bandalheira, é melhor os brasileiros não disputarem a Libertadores", afirmou o mandatário.

Relacionados