thumbnail Olá,

Roberto de Andrade prometeu denuncia qualquer problema da competição

O Corinthians declarou guerra oficialmente contra a Conmebol. Nesta terça-feira, em entrevista coletiva, Roberto de Andrade, diretor do clube, soltou o verbo contra a responsável pelo futebol sul-americano e criticou duramente a Libertadores.

“O que queremos daqui para frente é exigir que a Conmebol cumpra o regulamento. Tem que valer para todos, começando pelo estádio do San José. Não pode haver jogo no estádio do Millonarios, teve sinalizador, pilha na cabeça do bandeirinha, mas só vai mudar se o bandeirinha morrer?", esbravejou Roberto.

"Atlético-MG e São Paulo a mesma coisa, estádio inteiro com sinalizador. E se tivesse morrido alguém? Fluminense e Grêmio a mesma coisa. Foi tomada alguma medida? Até quando vamos suportar essas coisas acontecerem e ficar quieto?”

Acusações

“Se levar o regulamento ao pé da letra não tínhamos que ter jogado em Oruro. Não existe aeroporto em um raio de 210 km da cidade e tivemos que pegar um avião fretado até um aeroporto com palafita, esgoto a céu aberto, cachorro atravessando a pista. Paciência, todos viram o que aconteceu."

"O Corinthians foi punido, não fugimos disso, o regulamento é claro: torcedores entraram em campo com sinalizadores. Mas o estádio inteiro estava com sinalizadores. Por que as autoridades não tomaram as providências que deveriam ser tomadas? Tudo o que aconteceu foi em cima do regulamento, não pela morte. A morte foi a consequência da causa.”

Para encerrar, Roberto de Andre comentou o motivo do desabafo. “Talvez se o Corinthians não tivesse sido punido eu não estaria aqui. Mas a partir de agora o Corinthians trará tudo que estiver errado à tona, se for preciso parar o jogo porque algo está em desacordo, vamos parar.”




Relacionados