thumbnail Olá,

O lateral-esquerdo afirma que as o campo está ruim para ambos os times e que será difícil dominar a bola

Palco da estreia do Fluminense na Libertadores 2013, o Estádio Olímpico de Caracas recebeu grandes críticas do técnico Abel Braga e do diretor executivo Rodrigo Caetano devido ao seu gramado repleto de irregularidades. Carlinhos, porém, decidiu fazer suas reclamações de forma mais branda ao assumir o papel de porta-voz do elenco após as atividades físicas da equipe carioca.

"Quem está na arquibancada ou vendo pela TV não tem a noção de como está dentro do gramado. Vai ser um adversário extra. Mas não adianta lamentar, está ruim para os dois. Teremos que superar mais essa dificuldade em busca da vitória. No trabalho técnico estava difícil dominar a bola. Ela quicava muito com o campo irregular", disse.

Participando pela sexta vez da Copa Libertadores, nesta edição o clube atua na competição pela terceira vez consecutiva, um feito inédito na história do clube. De acordo com Carlinhos, a equipe espera chegar à sonhada conquista neste ano.

"Sempre conversamos. O Fluminense tem um elenco qualificado e sempre faz contratações que levam a equipe a estar disputando todos os títulos que disputa. Na Libertadores não é diferente. Temos atletas experientes, que já jogaram até Copa do Mundo e é claro que conversamos sobre o desejo desse título. Sabemos que o torcedor quer demais, mas é preciso ter calma. Só se ganha disputando com frequência. Vamos para a nossa terceira participação seguida e a cada ano ficamos mais experientes. Espero que esse possa ser o nosso ano. O título está amadurecendo", declarou.

Relacionados