thumbnail Olá,

Dirigente não entendeu a omissão de nomes como Paulinho, Ralf e Emerson Sheik

O Santos teve dois jogadores importantes na Seleção Brasileira para a série de quatro amistosos da equipe olímpica de Mano Menezes. O goleiro Rafael e o atacante Neymar disputaram os jogos, enquanto o Corinthians, adversário santista na semifinal da Libertadores, não teve nenhum convocado. O presidente santista, Luiz Álvaro Ribeiro, deu a entender que a omissão dos corintianos pode ser um favorecimento da CBF ao rival.

"Acho muito estranho que nenhum jogador do Corinthians, campeão brasileiro com todos os méritos, e dono da melhor defesa do Brasil, com um imbatível meio de campo, um atacante insinuante como o Sheik, craque, não tenha nenhum convocado. Por que será que não foram convocados? Isso me deixa com a pulga atrás da orelha", disse o dirigente, em declarações publicadas no site Globoesporte.

"Vão dizer que o Emerson não tem idade olímpica, mas o Hulk não tem também. Entre convocar um do Porto e outro do Brasil, que é muito melhor e joga muito mais, eu levaria o Sheik. Se tivesse de contratar um dos dois, seria o Sheik sem dúvidas. Vou me informar sobre tudo isso. Presidente fala com presidente. Vou conversar com o Marin e vou me pronunciar entre hoje e amanhã", afirmou.

O presidente santista ainda comentou sobre o esgotamento físico de Neymar, afirmando que não era necessário testar o jogador, por ele já ser uma estrela consagrada.

"Neymar está esgotado, é um despropósito. Ponderei com o Andrés antes das convocações, dizendo que não tinha lógica testar o Neymar. Não precisa testar o Messi. Ele e Neymar são consagrados. Fazer isso no meio de jogos decisivos da Libertadores desgasta o garoto física e mentalmente", disse LAOR.

"Não dá para administrar. Sai de uma disputa de estresse, do tri Paulista, viaja para o exterior, encontra um México tinhoso, que vence o Brasil e isso abala um moleque vencedor como o Neymar. Depois, perde para a Argentina, nosso rival emblemático, com Messi, o rival dele entre os melhores do mundo, e volta para enfrentar o Corinthians numa semifinal de Libertadores. Não há cabeça que aguente e isso reflete no campo, é inegável", concluiu.

   
   

Relacionados