thumbnail Olá,

Goal.com disseca os erros santistas na derrota para o Corinthians

A situação santista se complicou. Ao invés de usar a Vila Belmiro para conseguir uma vantagem para o segundo jogo da semifinal da Copa Libertadores, o Santos foi controlado e derrotado pelo Corinthians e agora terá que reverter o resultado em pleno Pacaembu. Goal.com enumera os principais erros do Peixe na partida de ida.

ERA PRECISO TER A BOLA

O Corinthians pressionou a saída de bola no início da partida. Não foi uma grande surpresa, já que o time de Tite tem essa característica. O problema foi a maneira com que o Santos reagiu a esta pressão, apressando-se demais e, assim, perdendo o controle da posse de bola.

O Santos até conseguia passar pela primeira linha de marcação do Corinthians, mas, empolgado com o espaço que se abria, o time acelerava a jogada e partia para sua definição, sem trabalhar mais a posse da bola. Assim, acabava errando e entregando a posse de volta ao rival.

Tudo o que o Corinthians queria no jogo era ter a bola em seu pé, especialmente no primeiro tempo, para trabalhá-la com paciência e esfriar o ímpeto de um time santista que queria incendiar a Vila Belmiro. Foi o que o Santos deu ao seu adversário nos primeiros minutos de partida.

ONDE ESTEVE AROUCA?

Era de se esperar que Ganso não tivesse uma jornada brilhante e inspirada. Voltando precipitadamente após uma artroscopia no joelho, o maestro santista precisaria de ajudar no meio-campo para articular as jogadas de ataque e fazer a bola rodar.

Geralmente, essa ajuda vem de Arouca, um volante dinâmico que chega à frente com força e tem muita qualidade no passe. Dessa vez, ela não veio. Elano até tentou articular algumas boas jogadas no primeiro tempo, mas errou demais no acabamento. Acabou substituido.

Com isso, o meio-campo santista ficou dependente de um descontado Ganso para alimentar os atacantes. Não foi à toa que até mesmo Adriano se aventurou ao ataque, sentindo a necessidade de ajudar o meia na tarefa de criar situações para os homens de frente.

NEYMAR 'ENCAIXOTADO'

A maneira com que Neymar encarou o jogo também não ajudou muito a causa santista. Ele teve liberdade para se movimentar durante o primeiro tempo, quando atuou como segundo atacante, mas ficou 'encaixotado' em uma marcação por zona eficiente do Corinthians.

Diante das duas linhas de quatro corintianas, havia pouquíssimo espaço para jogadas de dribles múltiplos, uma das especialidades do craque. Nos poucos momentos em que soltou a bola rapidamente, ele até deu alguma fluência ao ataque, mas, controlando suas arrancadas, o Corinthians controlou a maior arma do camisa 11.

Sem ter o brilho de suas jogadas individuais, o Santos ficou sem sua principal fonte de jogadas ofensivas na partida. Talvez a falta da companhia mais participativa de Ganso tenha lhe prejudicado, mas o certo é que, se o Santos tem alguma esperança de sair do Pacaembu classificado, terá que contar com um Neymar muito melhor do que o que se apresentou na Vila Belmiro.

Relacionados