thumbnail Olá,

Marco Fassone comentou sobre o trabalho do técnico nerazzurri, novo estádio e adaptação ao Fair Play Financeiro da Uefa

EXCLUSIVO
Por Zac Lee Rigg

O planejamento da Internazionale para a próxima temporada passa por uma decisão importante, embora ainda indefinida: a permanência ou não do técnico Andrea Stramaccioni, que comanda a equipe desde março do ano passado. Ainda que os resultados estejam longe do esperado, a diretoria acena com a possibilidade de dar mais uma chance para o jovem profissional mostrar seu trabalho.

Em entrevista exclusiva ao Goal.com, o diretor Marco Fassone, da Nerazzurri, disse que o comando técnico tem boas chances de permanecer intacto para o próximo ano, já que 'Stramma' não conseguiu explorar todo o potencial do elenco em virtude das muitas lesões que assolaram a Inter durante a temporada.

"Esta não é a decisão para se tomar no momento, mas por que não? Ele é muito jovem, é um projeto a longo prazo, eu espero. Infelizmente, tivemos muitas lesões no decorrer da temporada, e isso teve reflexo nos resultados", disse o cartola.

"Queremos saber o porquê de tantas lesões terem acontecido este ano, e levar em conta que o técnico conta com um número reduzido de jogadores à disposição desde novembro."

Fassone disse ainda que o clube estuda se mudar do San Siro para um estádio particular, nos moldes do que a Juventus realizou nos anos recentes.

"É um projeto crucial para o futuro da Inter. Estamos ainda procurando a melhor localização para o estádio, e temos três locais em potencial em Milão e suas proximidades"

"Nos próximos meses, vamos estudar os aspectos financeiros do estádio, para saber quais os custos que devemos poder subsidiar. Estamos trabalhando para concluir esta fase ainda em 2013."

"Quando você opera sozinho, tem mais liberdade para adaptar a arena aos seus interesses. É melhor que Inter e Milan tenham cada um seu próprio estádio."

Por fim, Fassone comentou ainda sobre o Fair Play Financeiro instituído pela Uefa, que visa colocar os clubes do Velho Continente sob vigilância e evitar gastos estratosféricos com o futebol.

"Não sabemos exatamente quais regras que a Uefa irá adotar. Sabemos que a próxima temporada, 2013-14, será uma muito importante, mas que a seguinte trará ainda mais implicações sobre o Fair Play Financeiro para as equipes européias."

"Estamos trabalhando focados nas regras, tentando reduzir as perdas que o clube teve nos últimos anos. Reduzimos o custo com salários consideravelmente, e queremos trabalhar conforme a regulamentação nos próximos anos", concluiu Fassone.

Relacionados