thumbnail Olá,

Resultado foi justo para as duas equipes. Nem e Bolívar fizeram a alegria das torcidas no Engenhão

No primeiro clássico do Campeonato Carioca 2013, Botafogo e Fluminense terminaram no 1 a 1. Wellington Nem e Bolívar anotaram os gols de um jogo bem disputado no Engenhão, encerrando a terceira rodada da Taça Guanabara.

Com o resultado, o Flu chegou a 6 pontos, ocupando a terceira colocação do Grupo B. Já os alvinegros ficam com 4, na quarta posição do Grupo A.

Nem desequilibra um primeiro tempo disputado

Disposto a fazer melhor do que na última rodada, o Botafogo, sem Seedorf, começou o clássico adiantando a marcação e trocando passes no ataque, apesar do pouco poder de fogo apresentado pela equipe alvinegra. Aos 13 minutos, Bruno Mendes dividiu com Leandro Euzébio na área e caiu, mas o árbitro mandou seguir. Em seguida, Wellington Nem recebeu lançamento nas costas da defesa e teve boa chance para abrir o marcador, mas Jefferson saiu bem e evitou o pior.

Aos poucos, o Tricolor se deu conta do bom momento de seu ataque e equilibrou as ações, e passou a levar mais perigo. Thiago Neves cobrou falta com muito perigo, e Digão teve boa chance para marcar, sem conseguir aproveitar. A dupla de zaga do Flu também teve boa oportunidade em cruzamento de Nem, mas faltou a eles jeito na frente da meta.

Foi a deixa para Wellington Nem fazer a diferença: o baixinho puxou contragolpe em alta velocidade aos 42 minutos e abriu para Bruno na direita. O ala devolveu para o baixinho, já na área, ajeitar a mandar um chute forte, por baixo de Jefferson: 1 a 0.

O fator Seedorf decide no segundo

Já aos cinco minutos de segundo tempo, Valencia perdia mais um gol ao finalizar de letra um cruzamento vindo da direita. Foi a deixa para Oswaldo de Oliveira lançar o holandês Seedorf, em sua primeira participação na temporada 2013. A diferença apareceu rapidamente: Bruno Mendes cabeceou para fora aos 8 minutos, após jogada iniciada pelo camisa 10.

A exemplo da primeira etapa, o Bota cresceu e adiantou-se sobre o campo tricolor, abrindo espaço para os contragolpes. Nem teve ótima chance aos 22 minutos, após receber lançamento de Jean, mas demorou muito para chutar e mandou em cima de Jefferson.

De tanto insistir, o Botafogo chegou à igualdade. Claro, nos pés de seu maestro: depois de apanhar bola na entrada da área, Seedorf tabelou e mandou um cruzamento preciso, de primeira, na cabeça de Bolívar. Sozinho, o zagueiro mergulhou e colocou a bola no fundo das redes de Cavalieri.

O clima de disputa tomou conta do duelo, e Seedorf e Valencia chegaram a se estranhar em certo momento. Em termos de futebol, no entanto, nenhuma equipe conseguiu produzir até o apito final de Péricles Bassols.
 

Relacionados