thumbnail Olá,
Ao Vivo

Brasileirão Série A

  • 25 de agosto de 2012
  • • 18:30
  • • Engenhão, Rio de Janeiro
  • Árbitro: Marcelo de Lima Henrique
  • • Público total: 13533
1
TF
2

Vasco 1 x 2 Fluminense: jogo quente apenas na segunda etapa é decidido nos detalhes

Vasco 1 x 2 Fluminense: jogo quente apenas na segunda etapa é decidido nos detalhes

Thiago Neves - Fluminense

Após gol de voleio de Thiago Neves, Gum marcou contra e por pouco Tenorio não virou. Árbitro gera polêmica em lance do 1º gol e conhecida substituição de Cristóvão revolta torcida.

Equipes muito cautelosas fazem primeiro tempo de poucas chances

As equipes entraram em campo neste sábado com a promessa de um grande jogo, afinal, tanto Fluminense quanto Vasco brigam pelo topo da tabela. Com sua tradicional escalação no 4-4-2, Cristóvão Borges oprtou por deixar Tenorio no banco, mandando a campo Barbio substituindo Éder Luís, vetado pelo departamento médico. Ainda sem poder contar com Deco, o Fluminense também escalou sua equipe com dois atacantes, Wellington Nem e Fred.

A partida começou com muita obeervação do adversário de ambas as partes. Nos primeiros dez minutos, o Vasco teve mais posse de bola mas encontrava dificuldades para penetrar a defesa tricolor - a melhor do campeonato. A principal opção do time cruzmaltino era pela direita, com Barbio, Auremir e por vezes Juninho. O nome do jovem atacante foi disparado o mais gritado pelo técnico Cristóvão no primeiro tempo. Aos 8 minutos, Auremir encontrou Alecsandro na área, que dominou e mandou de voleio, assustando a defesa do Flu, que cortou na sequência.

Apesar de se manter com menos posse do que o time de São Januário, o Fluminense chegou ao gol aos 17 minutos. O tento, porém, foi anulado por Marcelo de Lima Henrique, que viu falta de Fred em Douglas (seria mais um gol na conta do artilheiro da competição). O Vasco respondeu aos 23 e 24 minutos, em duas jogadas de Barbio: na primeira, corte em Carlinhos, invasão à área do Flu mas cruzamento pra ninguém; na segunda, o atacante passou novamente pela marcação mas dessa vez encontrou Alecsandro em ótima condição de finalizar dentro da área, mas ele dominou mal, perdeu tempo e acabou chutando travado por Euzébio.

Depois, equipes voltaram a fazer jogo morno até o intervalo, agredindo pouco, tocando muito a bola e buscando espaços. "Destaque" para lançamento na medida de Juninho para Alecsandro nas costas da defesa, que quando ia chegando na bola deu de cara com Carlos Alberto vindo de trás e juntos deixaram a bola sair, aos 38.

Mais emoção na segunda etapa, que é marcada por erro de árbitro e dois gols de Thiago Neves

Logo aos 4 minutos, Carlos Alberto girou em cima de Carlinhos na risca da grande área pela direita, rolou para Barbio que cruzou para Alecsandro. Após dividida com o defensor, a bola sobrou atrás e o centroavante meteu de calcanhar no cantinho, mas o lateral Bruno salvou com o bico da chuteira. Era o indício das fortes emoções que vinham com a segunda etapa.

Aos 6 e aos 11 minutos, dois bons contra-ataques desperdiçados pelo Fluminense. Thiago Neves errou passe para Wellington Nem com muito espaço, no primeiro, e no segundo a ótima finalização de Wagner parou na boa defesa de Fernando Prass. O jogo era lá e cá, com as duas equipes buscando o resultado.

O técnico Cristóvão Borges fez o que todos esperavam aos 16 minutos: pôs Tenorio em campo no lugar de Carlos Alberto, apesar do meia ser um dos mais perigosos do Vasco no gramado. A substituição deu gás renovado ao ataque vascaíno, mas 5 minutos depois foi a vez de Barbio dar lugar a Fellipe Bastos, para muita reclamação da torcida vascaína presente no Engenhão. Pelo lado tricolor, Abel Braga mostrou bem menos cautela e muito mais vontade de vencer: tirou Nem, cansado, e pôs Rafael Sóbis em campo.

Com 27 minutos, o lance que mudou o panorama da partida: após cruzamento de Dedé, a bola parou no braço aberto de Carlinhos, mas o árbitro da partida considerou a jogada involuntária, permitindo a armação do contra-ataque que resultaria no golaço de Thiago Neves. Após jogada de Sóbis, Wagner cruzou na medida para o meia acertar um voleio como manda o manual, mandando uma bola baixa sem chances para Prass.

A reclamação dos cruzmaltinos só foi menor porque 1 minuto depois Juninho, incansável, desceu pela direita e cruzou rasteiro buscando Alecsandro. Gum se antecipou ao centroavante mas acabou mandando contra o próprio gol: 1 a 1. E por alguns centímetros o Vasco não vira a partida no Engenhão. Após receber em posição de impedimento no início da jogada, Tenorio recebeu de William Matheus, deu um chapéu sensacional em Cavalieri e finalizou de cabeça, mas a bola parou no travessão do Flu.

Quem nunca ouviu aquela famosa frase: "Quem não faz, leva."? Foi exatamente o que ocorreu com o Vasco. Após a chance perdida, muito espaço era dado ao Fluminense para os contra-ataques. Num deles, Rafael Sóbis - que entrou muito bem na partida - sofreu falta de Douglas perto do bico da grande área, e Thiago Neves cobrou por fora da barreira (atrapalhada por Carlinhos), mandando no cantinho de Fernando Prass, que só olhou, aos 41 minutos.

Após o gol, ligeira retranca tricolor para em seguida se dar a festa da torcida com a vitória,e reclamação dos jogadores vascaínos, como não poderia ser diferente. Fellipe Bastos ainda levou cartão amarelo após o fim da partida, por reclamação.

      
   

Relacionados