thumbnail Olá,
Ao Vivo

Barclays Premier League

  • 8 de dezembro de 2012
  • • 13:00
  • • Stadium of Light, Sunderland
  • Árbitro: M. Halsey
  • • Público total: 39273
1
TF
3

Sunderland 1 x 3 Chelsea: Seguro na defesa, Chelsea vence com tranquilidade

Sunderland 1 x 3 Chelsea: Seguro na defesa, Chelsea vence com tranquilidade

Getty Images

Fernando Torres, com dois gols e participação direta no terceiro, é destaque da "cirúrgica" vitória dos Blues. Atuação da defesa no Stadium of Light também mereceu honras.

Depois de fazerem história ao serem eliminados precocemente na Champions League, os Blues não tem  outra opção a não ser focar na Premier League - muito disputada até agora pelos arquirrivais City e United. E a corrida para "salvar" a temporada começou oficialmente na tarde deste sábado (manhã na Inglaterra), contra o Sunderland, primeiro time acima da zona de rebaixamento do campeonato nacional.

Blues aproveitam chances e abrem boa vantagem


"Ao ataque!". Poderia ser o grito de um comandante militar ou um pirata estrelando um filme hollywoodiano, porém nada mais é do que o espírito que se via no semblante dos jogadores do Chelsea. Aproveitando a fragilidade do adversário e precisando do resultado, o interino - e muito pressionado - Rafa Benítez mandou a campo um time com sede de vitória, e não hesitou em torná-lo mais ofensivo ao colocar Oscar no lugar de Romeu ainda no primeiro tempo.

O Chelsea entrou com tudo e logo abriu o placar. Com menos de sessenta segundos de jogo, Hazard receberia na cara do goleiro Mignolet, mas o arqueiro adversário saiu rapidamente e evitou a finalização; aos 3, Mata poderia ter chutado mas preferiu o cruzamento, já dentro da área; e com 5 minutos Torres desperdiçou uma grande chance após falha da zaga, deixando de finalizar. O que parecia inevitável veio aos 11: contra-ataque puxado por Moses, cruzamento de Hazard e cabeçada certeira de Torres, encerrando longo jejum na Premier League - o espanhol estava há mais de 12 horas sem marcar no campeonato inglês.

Os donos da casa bem que tentavam reagir, mas sem paciência para manter a posse de bola e contando com uma quantidade considerável de erros de passe. A melhor opção era com Sessegon, abrindo sempre pela ponta esquerda e costurando algumas jogadas. Aos 27, o beninense saiu de David Luiz e bateu forte, obrigando Cech a mandar pra escanteio.

Pouco antes, aos 20, Oriel Romeu - lesionado - daria lugar a Oscar, tornando o time do Chelsea bastante ofensivo, com Ramires sendo o jogador mais defensivo do meio campo. O ex-colorado entrou fora de sua posição original, atuando um pouco mais recuado, ao lado do companheiro brasileiro.

E quando parecia que o fim da primeira etapa alcançaria sem sustos a partida que seguia em ritmo controlado pelos visitantes, Ramires avançou pela ponta canhota e quase na linha de fundo foi atingido por carrinho de Bardsley - penalidade máxima marcada pelo árbitro Mark Halsey. Na batida, bola de um lado, goleiro do outro, segundo gol de Fernando Torres e do Chelsea.

Gol no início facilita trabalho do Chelsea, que domina o adversário e leva os três pontos

Sem ver seu time ser ameaçado durante o primeiro tempo, a conversa no vestiário do técnico Rafa Benítez provavelmente foi das mais tranquilas dos últimos tempos. Tanto que os visitantes precisaram de apenas mais quatro minutos de bola rolando para marcar o terceiro. Bardsley falhou novamente e a bola sobrou para Torres, que acertou um chutaço no travessão de Mignolet. No rebote, Mata não desperdiçou e mandou para as redes.

Sem perigo iminente para David Luiz e cia., o quarto gol quase saiu dos pés de Moses, somente dois minutos depois. Enfiada de bola de Mata e chute cruzado do nigeriano, que passou rente à trave direita do goleiro.

Apesar da campanha ruim - o Sunderland ocupa atualmente a 17ª posição e está a apenas um ponto da zona de rebaixamento - o Stadium of Light se via com boa parte das cadeiras ocupadas, e era no embalo da torcida que os donos da casa se lançavam ao ataque, mesmo que com muita dificuldade. Depois de um primeiro tempo muito fraco, os meias começaram a aparecer mais para o jogo e isso levou mais perigo à defesa do Chelsea.

Logo depois dos 15 minutos, Benítez sacou Moses e pôs Bertrand, revelando estar satisfeito com o resultado. A substituição diminuiu a posse de bola dos Blues no campo de ataque e facilitou as chegadas do time da casa. Assim, saiu o solitário gol do Sunderland aos 20 minutos. Há de se afirmar que foi o "autêntico" golaço: Johnson mirou na cara da bola e soltou um lindo chute, em curva, que venceu Cech antes do arqueiro entender a trajetória da redonda.

O tento reanimou o time, que chegou a ensaiar uma pressão, sem muito sucesso devido ao conjunto defensivo do Chelsea, atuando de forma bastante segura, com destaque para David Luiz e Ahsley Cole. Aos 30, em cobrança de falta, Johnson quase igualou "El Niño" Torres e marcou seu segundo, mas Cech voou no ângulo para evitar gol que colocaria fogo na partida.

Vendo o relógio correr devagar, o Chelsea não aproveitava as oportunidades de contra-ataque e se escorava na firme atuação do sistema defensivo. Já nos acréscimos, Gardner se apresentou para cobrança de falta e pegou "na veia", de perna direita. O impacto da bola com o travessão deu a impressão balançar os alicerces do Stadium of Light mas não foi capaz de tirar os três pontos da conta dos londrinos, que contabilizaram mais uma vitória e seguem firmes na luta na parte de cima da tabela.

Relacionados