thumbnail Olá,
Ao Vivo

Brasileirão Série A

  • 6 de outubro de 2012
  • • 16:20
  • • Vila Belmiro, Santos, São Paulo
  • Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez
  • • Público total: 9965
1
TF
1

Santos 1 x 1 Inter: Com equilíbro e poucas chances na Vila, empate é boa ilustração da partida

Santos 1 x 1 Inter: Com equilíbro e poucas chances na Vila, empate é boa ilustração da partida

Ricardo Saibun/Santos FC

Bernardo abriu o placar para os donos da casa mas Cassiano empatou na segunda etapa, logo após entrar no intervalo. Em jogo disputado, cansaço pesou para as duas equipes no fim.

Em jogo válido pela 29ª rodada do Brasileirão, o Santos recebeu o Internacional na Vila Belmiro e acabou empatando em um a um. Sem seu principal craque, suspenso pela expulsão no último jogo, o time de Muricy Ramalho abriu o placar com Bernardo na primeira tempo e viu Cassiano empatar na etapa final. Na próxima rodada, o Santos, que caiu para a 14ª posição,  pega o Botafogo no Rio de Janeiro. Já o Inter, que se manteve na 6ª colocação, recebe o vice-líder Atlético-MG, no Beira-Rio.

Santos começa melhor, abre placar mas vê Inter superio no fim


Sem sua principal estrela em campo, o técnico Muricy Ramalho apostou na dupla de criação formada por Bernardo e Felipe Anderson, e logo no início da partida a dupla já dava mostras que poderia render bons frutos durante os 90 minutos.

Logo aos 7 minutos, Bernardo virou bola para a jovem revelação do Santos, que passou por Kleber e finalizou forte, obrigando Muriel a realizar a primeira boa defesa do jogo. Três minutos depois, Miralles desperdiçou o primeiro bom contra-ataque da equipe do Santos, finalizando fraco, mas a tônica do embate já começava a se desenhar.

Jogando com sua defesa em linha e atacante sem muita velocidade e com muitos jogadores, o Internacional era um prato cheio para a velocidade de Miralles, Felipe Anderson e André, proporcionando bons contra-ataques e se confundindo com a movimentação do ataque santista. Aos 16 minutos, saiu o primeiro. Após André e Felipe Anderson tabelarem dentro da área com estilo, Bernardo recebeu cara a cara com Muriel e bateu no alto, abrindo o placar para o Santos.

Logo depois, três chances seguidas para os donos da casa. Primeiro, nova chance desperdiçada por Miralles após excelente passe de André, aos 18 minutos; depois, Durval desviou aos 19 e aos 22 minutos de cabeça após levantamentos na área: na primeira, a bola passou muito perto da trave esquerda do Inter, mas na sequência o defensor obrigou Muriel a realizar sua segunda ótima defesa na partida, dando um tapa na bola e evitando o segundo gol.

O Inter não conseguia armar jogadas ofensivas, principalmente por insistir no lado esquerdo, talvez pelo retorno de Kleber ao time. Do lado oposto, Nei tinha bastante liberdade, pois Gerson Magrão ocupava a lateral esquerda jogando improvisado, no entanto o lateral do Inter pouco recebeu a bola na primeira metade do primeiro tempo.

Com o jogo aparentemente controlado, o Santos passou a chegar com menos perigo e viu o Inter assustar o goleiro Rafael, obtendo as principais chances do fim da primeira etapa. Aos 34, em sua primeira chegada consistente, boa troca de passes pela esquerda e Rafael Moura recebeu dentro da área, de costas. Em vez de buscar um companheiro entrando de frente para o gol, o atacante tentou finalizar mas muito pressionado acabou bloqueado.

Três minutos depois, o centroavante por muito pouco não teve grande chance de se redimir. Ygor avançou bem com a bola e Nei recebeu passe na frente (finalmente). No cruzamento, o lateral mandou passe preciso para Rafael Moura dentro da pequena área, mas Bruno Rodrigo deu um toquinho mandando para escanteio, em corte providencialíssimo.

Aos 41, Ygor pegou de primeira cruzamento de Forlán da esquerda e carimbou a trave de Rafael, provando de vez o relaxamento do Santos na parte final de uma primeira etapa que vinha sendo amplamente dominada.

Fernandão faz a diferença e Inter empata logo no início da segunda etapa

No intervalo o técnico do Inter não apenas substituiu Fred - que se movimentara muito pouco na primeira etapa e quase não criou jogadas - por Cassiano, mas provavelmente cobrou uma postura mais agressiva do Inter na partida. E os 15 minutos no vestiário surtiram claro efeito.

Trocando passes com mais agilidade, o Inter chegou ao gol de empate com 7 minutos de segundo tempo. Aproveitando a fragilidade do Santos pelas laterais, Kleber trabalhou com Dátolo pela esquerda e o meia, com bastante liberdade, mandou na cabeça de Cassiano, que conferiu o empate ao time do Inter de dentro da pequena área: um a um.

Priorizando as jogadas pelas laterais - coisa que pouco fez na primeira etapa - o time Colorado por muito pouco não chega ao empate aos 16 minutos. Kleber descolou ótimo cruzamento para Forlán, mas o uruguaio desperdiçou a chance de cabeça, livre, mandando por cima do gol de Rafael.

Com pouquíssimo ou nenhum poder ofensivo, o Santos parecia cansado em campo. Os contra-ataques já não ocorriam com a mesma frequência - também por mérito do Inter, que encurtou a marcação - e Muricy Ramalho tirou André e lançou Pato Rodríguez, para dar novo ânimo ao time da Vila. Com menos de um minuto em campo, o atacante deu uma prévia do que faria em campo: recebeu boa bola em contra-ataque, disparou pela ala esquerda mas quando encontrou a marcação, tentou passe de calcanhar para ninguém, mandando nos pés de Guiñazu.

Chegando à segunda metade da última etapa, os dois times passaram a mostrar sinais de cansaço, com pouca movimentação e muitos passes longos - a maioria errada -, principalmente da parte santista. Apesar de mais presente no campo ofensivo, o Inter não conseguiu criar mais nenhuma chance clara, assim como seu adversário paulista.

No último lance do jogo, Arouca disparou com a bola do campo de defesa, se livrou da falta e tocou para Felipe Anderson, que meio desajeitado conseguiu o cruzamento: a bola encontrou João Pedro, que havia entrado no lugar de Bernardo (exausto). Ele soltou a bomba de perna direita e presenteou algum torcedor presente na torcida do Santos na Vila, mandando muito acima da meta defendida por Muriel, "encerrando" a partida e sacramentando o empate, ruim para as duas equipes.

     
   

Relacionados