thumbnail Olá,
Ao Vivo

Liga dos Campeões da UEFA

  • 3 de abril de 2013
  • • 15:45
  • • Estadio Santiago Bernabéu, Madrid
  • Árbitro: S. Moen
  • • Público total: 76462
3
TF
0

Real Madrid 3-0 Galatasaray: merengues batem turcos com facilidade e praticamente se confirmam nas semifinais da Champions League

Real Madrid 3-0 Galatasaray: merengues batem turcos com facilidade e praticamente se confirmam nas semifinais da Champions League

Getty Images

Com gol de Cristiano Ronaldo, Real Madrid passa por cima de Drogba e companhia no Santiago Bernabéu

Por Emanoel Ferreira

O jogo começou a mil por hora. O Real Madrid tinha à volta um Santiago Bernabéu completamente abarrotado de torcedores cantantes e sabia de sua obrigação: decidir em seus domínios o duelo por uma vaga nas semifinais da Champions League.

E decidiu. Com gols de Cristiano Ronaldo (8’ do primeiro tempo), Benzema (28’ do primeiro tempo) e Higuaín (28’ do segundo tempo), o clube espanhol não tomou conhecimento do Galatasaray, anulou Drogba e Yilmaz e presenteou a torcida com uma grande vitória nesta quarta-feira.

PRIMEIRO TEMPO

O Real Madrid já começou o duelo indo para cima do Galatasaray. Aos 02’, o argentino Dí Maria já chegava com atrevimento, escapando dos marcadores e batendo para o gol. A bola, no entanto, resvalou na defesa e morreu na linha de fundo. Um minuto mais tarde, Dí Maria surgia outra vez entre a marcação turca, desta vez cruzando para Benzema, que cabeceou por cima da meta do goleiro Muslera.

Aos 04’, o Galatasaray buscou revidar. Com o brasileiro Filipe Melo, dono da 10 turca, que acertou um bom passe para Eboué na entrada da área. O companheiro fuzilou para o gol, mas sem direção.

Aos 08’ do primeiro tempo, o gol que abriu o placar: Cristiano Ronaldo tocou por cima do goleiro Muslera, numa frieza incrível, e mostrou a Yilmaz que brigar com ele pela artilharia da Liga dos Campeões não será páreo fácil.

O Galatasaray não se intimidou. Buscou ir para cima, tocar a bola e sondar a defesa madrilena. Mas o Real estava num dia muito inspirado e soube cuidar com maturidade do ímpeto de seus visitantes.

Aos 28’ minutos do primeiro tempo, os torcedores do Galatasaray não gostaram nada do que viram. Isso porque, em campo, o francês Benzema aproveitou descuido da defesa e, após cruzamento de Essien, balançou pela segunda vez as redes turcas. Real Madrid 2-0.

SEGUNDO TEMPO

Sneijder não voltou para o segundo tempo, após uma primeira etapa completamente apagada. Göhan Zan foi quem saiu do banco para substituí-lo e tentar auxiliar o Galatasaray na difícil empreitada que se tornou os 45 minutos seguintes.

O primeiro ato do turco foi uma falta, aos 02’, em Cristiano Ronaldo. Talvez um reflexo da atmosfera desfavorável que o Gala enfrentava no Santiago Bernabéu.

Felipe Melo se destacou em algumas jogadas na etapa complementar. O brasileiro e 10 do Galatasaray chamou a responsabilidade para si e tentou reverter o quadro negativo aos 09’ do segundo tempo, quando arriscou de fora da área e obrigou o goleiro Diego López a fazer boa defesa.

Aos 17’, o Real assustou outra vez.  Xabi Alonso conseguiu ótimo passe para Dí Maria, que avançou e chutou para o gol. Muslera fez excelente defesa e salvou o time da Turquia.

Aos 19’ minutos, entrou aquele que faria o terceiro gol dos merengues. Substituindo Benzema, autor do segundo tento, o argentino Higuaín entrou em campo para, apenas nove minutos depois, aproveitar vacilo da defesa adversária e, com estilo, cabecear no canto direito de Muslera.

A tendência seria o Real Madrid recuar e gastar o resto do jogo tentando arrefecer os ânimos de um Galatasaray desesperado, certo? Errado. O time espanhol queria claramente liquidar a fatura e buscou com afinco o ataque. Aos 30’ minutos, Cristiano Ronaldo recebeu na área, matou no peito e conseguiu um belo volteio, mas a bola desviou na defesa e saiu.

O Galatasaray assustou aos 35’, com  Selcuk Ínan, que chutou da intermediária  e fez o goleiro substituto de Iker Casillas, que nem sequer foi relacionado para a partida, a fazer outra defesa firme. Mas foi só. Quando o juiz ergueu os braços, o Real Madrid havia acabado de sacramentar um resultado excelente para o sonho da Champions League.

Relacionados