thumbnail Olá,
Ao Vivo

Barclays Premier League

  • 30 de dezembro de 2012
  • • 14:00
  • • Loftus Road Stadium, London
  • Árbitro: A. Taylor
  • • Público total: 18304
0
TF
3

QPR 0 x 3 Liverpool: Suárez é fatal e dá vitória ao Liverpool em menos de 30 minutos

QPR 0 x 3 Liverpool: Suárez é fatal e dá vitória ao Liverpool em menos de 30 minutos

Getty Images

Com dois gols e muitos dribles, uruguaio foi o destaque da vitória dos Reds sobre o lanterna da competição, que mostrou muita fragilidade na defesa e poucos momentos de inspiração.

Queens Park Rangers e Liverpool entraram em campo nesta tarde em Londres para fazer a última partida do campeonato inglês em 2012, mas o desenrolar do jogo está longe de ser alguma ilustração da disputadíssima corrida entre os arqui-rivais Manchester United e Manchester City pela liderança, ou mesmo a luta pela classificação para a Champions, entre Chelsea, Tottenham, Arsenal, Everton e até West Bromwich. A vitória do time visitante se deu de forma acachapante em praticamente 25 minutos, e salientou mais uma vez o nível ruim do clube atualmente defendido pelo goleiro brasileiro e ídolo na Inter de Milão, Júlio César. Com o resultado, o time de Gerrard e cia. sobe para a 9ª posição, com 28 pontos, enquanto os "Super Hoops" se mantém em último, com apenas 10.

Massacre dos Reds fica "somente" na casa dos três gols

É verdade que a irregular campanha do Liverpool na Premier League vem causando muita desconfiança nos seus torcedores. Até o início da rodada ocupando a 10ª posição, o tradicional clube da terra dos Beatles está a 8 pontos do Arsenal, o 5º colocado e último classificado para uma competição internacional (Liga Europa). Mas a situação do Queens Park Rangers, é redundante citar, é muito pior. Último colocado na competição, o time do goleiro Julio César e do lateral brasileiro Fábio só obteve uma vitória em todos os 19 jogos disputados até então, somou apenas 16 gols e sofreu 33.

O que se poderia prever do embate desta tarde foi, como muitas vezes não acontece no futebol, exatamente o ocorreu no primeiro tempo: um verdadeiro massacre dos Reds. A primeira chance apareceu aos 2 minutos, assim como a primeira "caneta" de Suárez (não perca a conta): ele aplicou o drible em Traoré e soltou uma bomba no meio do gol, espalmada por Julio César.

Trabalhando a bola sempre no campo de ataque, o Liverpool não tinha pressa para marcar, ou pelo menos não parecia ter. À exceção do uruguaio Suárez, que pedia insistentemente a bola e procurava as jogadas ofensivas, se apresentando para o jogo. Foi assim que aos 9, ele saiu da área e recebeu pouco antes da meia-lua. Na sequência, aplicou sua segunda caneta - agora em cima do zagueiro Hill - e saiu na cara do goleiro Julio César, finalizando no cantinho para abrir o placar. Pouco mais de um minuto depois, saiu o terceiro "rolinho", mas Downing pecou na devolução e irritou o elétrico atacante que já estava dentro da área.

Aos 16, nova jogada do sulamericano. Tabela - dessa vez correta - com Downing pela direita, invasão à área e toque para Sterling de frente para o gol. A finalização do jovem atacante acabou saindo travada e o rebote voltou nos mortais pés de Suárez, que mandou de primeira para as redes do QPR, ampliando a vantagem.

Com 21 minutos, na primeira oportunidade em potencial para o time da casa, Taarabt cobrou falta e Henderson desviou com o braço esquerdo, mas o árbitro não marcou o que seria uma falta muito mais perigosa, na risca da grande área. Mas a jogada foi um lance isolado e aos 25 os Reds voltaram a quase marcar. Johnson recebeu lançamento longo e invadiu a área pela direita, finalizando por baixo de Julio César, mas antes que a bola encontrasse Sterling ou as redes, Nelsen salvou a pátria dos Hoops. Dois minutos depois, aos 27, não teve jeito. Cobrança de escanteio curta para Gerrard cruzar na cabeça de Agger, que testou no canto esquerdo de Julio Cesar, que chegou a tocar na bola mas não pôde evitar o terceiro gol.

Os Reds chegariam pela última vez na primeira etapa aos 37, em mais uma jogada do incansável "Luizito" Suárez. Ao menos pela quarta vez só neste primeiro tempo, o atacante passou pela marcação (dessa vez de Onuoha) com uma bola entre as pernas e contou com um choque entre o lateral e o seu companheiro Nelsen para rolar pra trás. Ninguém menos que Gerrard chegou batendo, e após desvio de Hill já com Julio Cesar batido no lance, Nelsen foi quem salvou em cima da linha.

Liverpool controla segunda etapa e leva os três pontos

Logo aos 4 minutos após o intervalo, tanto Suárez como o Liverpool mostraram que não estavam dispostos a mudar alguma coisa, desde o resultado positivo ao controle da partida. Sterling chegou pela esquerda com espaço e tocou para o uruguaio, que fintou Nelsen e bateu de perna esquerda no alto, para excelente defesa de Julio César.

Dois minutos depois, o mesmo Suárez chegaria pelo lado direito da área, recebendo ótimo passe de Downing e cruzando na medida para a entrada de Gerrard, que marcaria não fosse a chegada de Diakité para meter a cebeça na bola, evitando o quarto fol. Aos 8, mais uma chegada perigosa dos Reds: Downing fez a infiltração pela direita, recebeu de Johnson e mandou entre as pernas de Hill, mas antes que ele pudesse rolar para Suárez, livre mais atrás, a bola saiu pela linha de fundo.

Sem conseguir ampliar o placar, o Liverpool passou então a trocar mais passes e esperar o fim do jogo, cedendo consequentemente um pouco mais de espaço ao time adversário, quando este conseguia roubar-lhe a bola. A entrada de Granero no lugar de Diakité, aos 18 minutos, também aumentou a movimentação do meio-campo dos Rangers, que finalizavam bem mais na segunda etapa - sem levar muito perigo, é bom que se diga.

O espanhol revelado no Real Madrid, teve sua primeira chance de ser útil logo que entrou, se apresentando para cobrança de falta cometida por Agger (toque de mão) em jogada de Taarabt. A batida, no entanto, não empolgaria nem o mais otimista dos torcedores presentes, pois foi rasteira e direto pra fora. Apesar do início ruim, aos 24 minutos o "Pirata", como é conhecido na espanha, fez linda jogada com M'Bia e Taarabt, incluindo apenas toques de primeira, que culminou numa finalização do camaronês pra fora, mas arrancou aplausos dos fãs no Loftus Road Stadium.

Sem força para buscar uma virada ou mesmo um empate, os Hoops tentavam ao menos o gol de honra, principalmente com chutes de fora da área de Taarabt e M'Bia, a maioria defendida sem sustos por Reina ou saída em tiro de meta. Do lado dos Reds, a certeza da vitória parecia ter se estabelecido e somente em jogadas esporáticas de Suárez e Sterling, contando com a chegada de Gerrard mais à frente, assustavam o goleiro Julio César. Coube ao apito final de Anthony Taylor, após longos três minutos de acréscimo, apenas contabilizar os três pontos na conta dos Reds, que construíram o resultado em menos de 30 minutos na primeira etapa.

Relacionados