thumbnail Olá,
Ao Vivo

Campeonato Brasileiro

  • 4 de outubro de 2012
  • • 21:00
  • • Canindé, São Paulo, São Paulo
  • Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro
  • • Público total: 2054
5
TF
1

Portuguesa 5 x 1 Sport: Três de Bruno Mineiro dão o tom da virada da Lusa

Portuguesa 5 x 1 Sport: Três de Bruno Mineiro dão o tom da virada da Lusa

Helio Suenaga/CON

Com os três gols, atacante ultrapassa Fred na artilharia do Brasileiro. Luiz Ricardo e Rodriguinho completaram a virada para a Portuguesa. Hugo abriu o placar.

Bruno Mineiro é um centro-avante à moda antiga. Habilidoso, o camisa 9 da Portuguesa sabe marcar gols de todas as formas e, longe da bobagem do politicamente correto, comemorou os três feitos sobre o Sport, clube onde anotou o tento de acesso para a Série A, com a empolgação necessária.

Além dos gols de Bruno, a Lusa contou com mais dois - Moisés e Rodriguinho - para sacramentar a goleada imposta sobre o Sport, nesta quinta-feira, no Canindé. Hugo abriu o placar para os visitantes.

A vitória leva a Portuguesa aos 36 pontos, assumindo a 10ª colocação. Já o Sport mantém-se com 27 pontos, ocupando o perigoso 17º posto.

Igualdade na primeira etapa

A velha história da luta entre o medo de perder e a vontade de vencer confundiu a cabeça dos jogadores do Sport durante o primeiro tempo. Querendo somar pontos na luta contra o rebaixamento, Valdemar Lemos escalou seu time de maneira cautelosa. Quando saía para o jogo, porém, o Sport levava perigo sistematicamente.

Todo recuado, o Leão tomou sufoco da Portuguesa nos minutos iniciais. Boquita era o único volante da equipe, que atacava por todas as frentes. Aos 6, Rogério cabeceou para grande defesa de Magrão. Cinco minutos depois, foi a vez de Léo Silva incomodar. Em chute da entrada da área, o camisa 8 explodiu o travessão de Magrão.

Contudo, bastaram duas descidas pelos flancos para o rubro-negro chegar ao gol. Primeiro Gilsinho desviou escanteio da esquerda e Hugo, livre na pequena área, cabeceou por cima. No lance seguinte, agora pelo lado oposto, o veterano Cicinho cruzou e Hugo, desta vez com capricho, testou para marcar.

O Sport novamente posicionou-se atrás e, com campo para operar, a Lusa empatou. Aos 24, Bruno Mineiro emendou levantamento de Ananias para anotar seu 12º gol no campeonato, consolidando-se como vice-artilheiro.

A igualdade no placar assustou os visitantes, que abdicaram do ataque nos 20 minutos finais. Sem a criatividade de jogos passados, a Lusa acabou caindo na armadilha pernambucana e não ameaçou mais o gol de Magrão.

Bruno Mineiro e Moisés comandam a virada


No intervalo, Geninho fez alteração e pode ter feito muito torcedor luso torcer o nariz. O meia Michael, sumido em campo, foi substituído por Zé Antônio, cabeça de área. Apesar das aparências defensivas, a mexida colocou a Lusa no ataque.

Com mais espaço para operar no meio, Moisés distribuía o jogo entre os dois lados do campo. Logo aos três minutos, deu-se a virada do time paulista. Valdomiro cabeceou e, antes que Magrão chegasse, Luiz Ricardo desviou a bola, que pegou na trave. Atento ao rebote, Bruno Mineiro tocou para o gol vazio.

Tal qual um boxer em busca do nocaute, a Lusa manteve a pressão. Aos 16, Bruno Mineiro tirou tinta da trave de Magrão em cabeçada entre a atordoada dupla de zagueiros do Sport.

Com o Sport perdido em campo, saindo apenas em arrancadas de Gilsinho e Cicinho pelo lado direito, a equipe vermelho e verde ampliou sua vantagem, aos 22 minutos. Moisés pegou sobra de escanteio batido por Luiz Ricardo e, com a zaga saindo da área, Bruno Mineiro apareceu livre para marcar em chute cruzado. Era o terceiro do mais novo artilheiro do Campeonato Brasileiro.

Mandando no jogo e com o adversário incapaz de esboçar reação, a Portuguesa cozinhou a partida e, no erro do rival, transformou a vitória em goleada. Moisés roubou bola na área e bateu para grande defesa de Magrão. No rebote, o camisa 10 deu dois dribles na marcação até marcar seu golaço.

Nos acréscimos, Rodriguinho, que havia acabado de entrar na vaga do lesionado Bruno Mineiro, deixou sua marca ao completar centro rasteiro de Luiz Ricardo e sacramentou a vitória lusa, demonstrando que, no futebol moderno, a melhor defesa segue sendo o ataque.

Relacionados