thumbnail Olá,
Ao Vivo

Brasileirão Série A

  • 10 de julho de 2011
  • • 17:34
  • • Pacaembu, São Paulo, São Paulo
  • Árbitro: Luiz Flavio De Oliveira
  • • Público total: 16751
3
TF
0

Precisa do Kleber? Palmeiras dá show e goleia Santos

Precisa do Kleber? Palmeiras dá show e goleia Santos

Sem o 'fujão' Gladiador, Verdão faz bonito e atropela o Peixe no Pacaembu: 3 a 0; Goleada recoloca equipe no G4

Neste domingo, Kleber chegou a ser relacionado para o clássico, mas pediu para não jogar alegando dores musculares na coxa esquerda. Pois há quem diga: "Nem precisou!". Sem ele, o Verdão goleou o Santos por 3 a 0 no Pacaembu e se firmou na quarta colocação do Campeonato Brasileiro, voltando ao G4.

Os gols de Maikon Leite, Mauricio Ramos e Patrik representam a quinta vitória em nove jogos do Verdão. O camisa 7, ex-jogador do Santos, prometeu não comemorar contra o Peixe mas deixou escapar a vibração pelo gol, o primeiro da partida. O Palmeiras se mantém imbatível jogando em casa neste Brasileirão. Foram cinco jogos e cinco vitórias, e sem sofrer gols!

A derrota santista, por sua vez, fez a equipe cair duas posições na tabela: agora, o time de Muricy Ramalho ocupa a 16ª colocação, com 8 pontos, uma posição acima da zona do rebaixamento do Brasileirão.

Para piorar o panorama do Tricampeão da Libertadores, um tabu foi mantido neste domingo. O Santos não vence o Palmeiras desde 2009. Desde então, foram cinco vitórias e dois empates.

PRECISA DELE, FELIPÃO?

Para encerrar o ciclo de polêmicas envolvendo a escalação do atacante Kleber, vetado com dores musculares na coxa esquerda - sem jogar, o Gladiador se mantém com 6 jogos e, então, poderia ser possivelmente negociado com o Flamengo, como se vem especulando -, o Verdão focou para fazer um grande jogo. 

Mas, dentro de campo, o primeiro grande lance foi mesmo do Santos. Diogo chamou dois palmeirenses para dançar, saiu da marcação e acertou a rede pelo lado de fora, assustando Marcos.

O Palmeiras se via diante de uma muralha de alvinegros à frente da área. Assim, só mesmo as habituais bolas paradas de Marcos Assunção pareciam vencer o cerco rival. Valia até o improvável: Mauricio Ramos, aos 15, deu chutão na intermediária e a bola passou perto do gol de Rafael.

Era necessária maior criatividade para o Alviverde. E Gabriel Silva, aos 20 minutos, iniciou a jogada do primeiro gol na medida exata para quebrar o gelo santista. O camisa 6 passou como quis por Pará e rolou para Luan, que fez o papel que seria de Valdivia ou Lincoln e colocou Maikon Leite na cara do gol. O ex-santista, como um raio, driblou Rafael e só parou no fundo das redes.

E o Palmeiras não estava satisfeito: aos 29, Marcos Assunção cobrou escanteio e o insaciável Verdão chegou ao segundo gol com Mauricio Ramos.

Em uma tentativa de se recolocar na partida, o Santos procurou a reação. Mas o máximo que conseguiu foi um pênalti não-marcado. Arouca sofreu encontrão de Leandro Amaro aos 23 minutos e pediu pênalti, mas o árbitro nada marcou. Nem assim o Santos conseguia entrar na área alviverde

Luan, aos 33, e Gabriel Silva, aos 42, ensaiaram o que poderia ser uma goleada; Patrik consolidou o que parecia inevitável: aos 44 minutos, Márcio Araújo invadiu a área e rolou para Patrik, que, de primeira, acertou o ângulo direito do goleiro Rafael, marcando um golaço, o terceiro do Palmeiras. Ufa!

Com 3 a 0 no placar, o Verdão foi para o intervalo tranquilo, mas o Santos voltou a campo na etapa final disposto a tentar diminuir o estrago. Muricy Ramalho lançou mão de Roger Gaúcho e Felipe Anderson, dois meias, nos lugares de Rychely e Possebon.

O reforço na criação pareceu dar resultado logo a um minuto da segunda etapa. Borges recebeu na área e dividiu com Marcos. O Santo levou a melhor e evitou o que seria o primeiro gol do Peixe.

ESPIONAGEM VERDE

Em meio ao marasmo da segunda etapa, o jogo reservou alguns momentos curiosos. O espião Maikon Leite foi solicitado quando da entrada de Tiago Alves no Peixe. Felipão chamou o camisa 7 do Palmeiras e perguntou a ele quem era o jovem jogador que iria entrar no rival. Maikon ofereceu as informações do inimigo à beira do gramado.

Mesmo já "fichado" pelo adversário, foi justamente Tiago Alves quem ofereceu um pouco de perigo a Marcos, aos 18 minutos. Mas era pouco para o Santos, refém da ausência de Ganso, Neymar e Elano.

A única chance do Alvinegro da Vila Belmiro era aproveitar as falhas de um Palmeiras já relaxado. Mauricio Ramos, por exemplo, deu bobeada aos 29 minutos e Felipe Anderson finalizou livre, mas fraco.

A esperança santista para diminuir o placar estava nos pés de Tiago Alves e de Felipe Anderson, duas revelações do Santos que foram apostas de Muricy Ramalho na segunda etapa. O Alvinegro bem que melhorou, mas não alterou o resultado final.

A goleada marcou o primeiro jogo do Verdão no Pacaembu neste Campeonato Brasileiro. Como mandante, a equipe se manteve 100% e sem sofrer gols. Antes, o Palmeiras vencera o Botafogo em São José do Rio Preto e outros três adversários no Canindé (Atlético-PR, Avaí e Atlético-GO).

Na próxima rodada, a equipe de Felipão tem mais um páreo duro: encara o vice-líder Flamengo no Pacaembu, no domingo, em duelo entre duas equipes integrantes do G4. Um dia antes, o Santos recebe o Atlético-MG na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 3X0 SANTOS

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 10/7/2011 - 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Herman Brumel Vani (SP)

Renda/público: R$ 444.239,00 / 16.751 pagantes
Cartões amarelos: João Vítor (PAL); Léo, Pará (SAN)
Cartões vermelhos: -
GOLS: Maikon Leite, 20'/1ºT (1-0); Mauricio Ramos, 29'/1ºT (2-0); Patrik, 44'/1ºT (3-0);

PALMEIRAS: Marcos; Cicinho (João Vítor 33'/2ºT), Maurício Ramos, Leandro Amaro e Gabriel Silva; Márcio Araújo, Marcos Assunção e Patrik (Pierre 43'/2ºT); Maikon Leite (Tinga 23'/2ºT), Luan e Dinei. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

SANTOS: Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Léo; Possebon (Roger Gaúcho, intervalo), Arouca e Danilo; Diogo (Tiago Alves 17'/2ºT), Borges e Rychely (Felipe Anderson, intervalo). Técnico: Muricy Ramalho.