thumbnail Olá,
Ao Vivo

Campeonato Brasileiro

  • 29 de setembro de 2012
  • • 21:00
  • • Pacaembu, São Paulo, São Paulo
  • Árbitro: Guilherme Cereta De Lima
  • • Público total: 29739
3
TF
0

Palmeiras 3 x 0 Ponte Preta: Com 30 mil na arquibancada, Palmeiras sufoca Ponte e consegue a segunda vitória consecutiva

Palmeiras 3 x 0 Ponte Preta: Com 30 mil na arquibancada, Palmeiras sufoca Ponte e consegue a segunda vitória consecutiva

Getty Images

Muito aguerrido desde o primeiro minuto, Palmeiras abre dois a zero com menos de 15 minutos. Barcos (2) e Marcos Assunção marcaram em partida bastante disputada.

Em jogo válido pela 27ª rodada do Brasileirão, o Palmeiras venceu a Ponte Preta e emplacou sua segunda vitória em dois jogos, após a derrota para o Corinthians no clássico. Com o resultado, a equipe do Palestra Itália se mantém na 18ª posição mas fica a dois pontos de sair da zona de rebaixamento - na próxima rodada, enfrenta o São Paulo no Morumbi. Já a Ponte Preta fica na 12ª colocação mas liga o alerta para a aproximação do Z4. A Macaca visita o Coritiba na próxima rodada, rival direto na luta na parte de baixo da tabela.

Verdão começa no embalo da torcida e abre dois a zero com menos de quinze minutos


A vitória fora de casa contra o Figueirense na última rodada parece ter mexido com os brios dos jogadores alviverdes e dos torcedores. O time mostrou vibração e raça, e foi imbuído deste sentimento que entrou em campo em casa para enfrentar a Ponte: buscando a vitória a qualquer custo para sair da situação ruim na tabela.

Com 5 minutos de partida o time da casa já tinha criado três chances. Arthur desviou de cabeça cobrança de escanteio para ótima defesa de Edson Bastos; Maikon Leite ia dando assistência para Barcos mas a bola parou em corte providencial da zaga; e o mesmo Maikon recebeu de Henrique na frente e bateu forte, assustando o goleiro da Ponte.

Aos 12, a notória superioridade do Palmeiras se traduziu em gol, com uma pitada de sorte. Após cruzamento e bate-rebate na área, a zaga da Ponte cortou mal e mandou nos pés do artilheiro Barcos, que mesmo pegando mal na bola acertou o canto e abriu o placar. Com tempo apenas de aplicar um lindo chapéu no ataque, o centroavante ampliou aos 14 minutos, apenas dois minutos depois. Maikon Leite roubou bola no ataque e cruzou na medida para o "pirata" completar para as redes.

Com o segundo gol sofrido, os jogadores da Ponte se reuniram no gramado enquando Barcos comemorava e pareceram assumir um compromisso em não desistir da partida. A partir daí, o jogo ficou mais disputado, e chegou a ter entradas duras.

Nikão incomodava pelo lado esquerdo de ataque, enquando Marcinho trabalhava pela meia com a chegada dos volantes e do lateral Cicinho, bastante presente no campo de ataque no primeiro tempo. Apesar do crescimento de volume de jogo do time de Campinas, o Palmeiras mantinha a forte marcação - Valdivia era um dos mais aguerridos em campo - e impedia a criação de chances claras, anulando Roger no jogo.

Marcos Assunção quase marca mais um de falta com 32 minutos, em cobrança de longe e sua já tradicional batida na direção do gol que pode sofrer um desvio. No lance, Edson Bastos chegou na bola e evitou o terceiro gol, com o impedimento sendo marcado na sequência.

A Ponte respondeu no fim da primeira etapa, em dois lances de Nikão. No primeiro, aos 42, cobrança de falta muito forte que Bruno espalmou para longe; três minutos depois, ele passou por Arthur e cruzou para o meio da área. A bola sofreu um desvio e por pouco Cicinho não consegue a finalização com Bruno mal posicionado.

Palmeiras mantém superioridade e trave impede goleada. Ponte luta mas não consegue marcar

A ida para o vestiário não diminuiu em nada o ímpeto dos donos da casa. Logos aos 5 minutos de segundo tempo, Marcio Araújo disparou pela esquerda e tocou para Maikon Leite. Ele cortou a marcação e apesar da batida sair truncada, só parou no travessão de Edson Bastos. No rebote, Barcos quase consegue marcar o seu terceiro gol na partida.

Com 15 minutos, não teve jeito. Marcos Assunção recebeu com espaço na intermediária, ajeitou e bateu baixo, acertando o cantinho direito de Edson Bastos, que se esticou todo mas não conseguiu evitar o terceiro do Palmeiras.

Um minuto depois, Roger recebeu cara a cara com Bruno mas na hora da batida Maurício Ramos chegou por trás, atrapalhando a finalização e derrubando Roger, gerando polêmica e muita reclamação para o árbitro Guilherme Cereta de Lima, que marcou apenas escanteio.

Mas desacelerar o ritmo ou sentir a pressão adversária não era uma opção para o Verdão na noite deste sábado. Logo depois do lance de Roger, Maikon Leite apostou corrida com Baraka do meio até a grande área, segurou a bola e rolou para Valdivia, que bateu no contra-pé de Edson Bastos e carimbou a trave direita.

A Ponte melhorou no jogo, agredindo (ou tentando) mais o time da casa, muito em razão da saída de Tiago Alves e entrada de Rildo. Aos 20 minutos, Nikão testou cobrança de escanteio e Bruno realizou linda defesa. Mas aos 27, a defesa da Ponte levou novo susto proporcionado dessa vez por Barcos. Em cobrança de falta rápida, o centroavante recebeu na área, cortou a marcação e bateu firme, mas a bola pela terceira vez parou na trave de Edson Bastos.

Pensando no jogo do meio de semana contra o Milionarios-COL pela Sulamericana, Gilson Kleina tirou de campo Marcos Assunção, Maikon Leite e Valdivia, causando ligeira diminuição no volume de jogo do Palmeiras. Antes do fim da partida, Roger ainda desperdiçou duas oportunidades. Aos 41 cabeceou pra fora cruzamento na medida de Rildo, e aos 44 perdeu chance inacreditável após deixar Maurício Ramos no chão e finalizar por cima da meta.

     
   

Relacionados