thumbnail Olá,
Ao Vivo

Campeonato Brasileiro

  • 1 de setembro de 2012
  • • 18:30
  • • Pacaembu, São Paulo, São Paulo
  • Árbitro: Sandro Meira Ricci
  • • Público total: 11586
0
TF
0

Palmeiras 0 x 0 Grêmio: cota de erro gremista fica por conta de Kleber e visitantes seguram empate com um a menos

Palmeiras 0 x 0 Grêmio: cota de erro gremista fica por conta de Kleber e visitantes seguram empate com um a menos

Getty

Após expulsão de Kleber aos 16 do 1º tempo, Grêmio segura pressão de um Palmeiras pouco agressivo e assusta em alguns ataques. Barcos acertou o travessão no fim.

Apesar de toda a pressão do Palmeiras, que jogou com um jogador a mais durante quase toda a partida - Kleber foi expulso aos 16 minutos -, o Grêmio levou um ponto para o rio Grande do Sul e se manteve na terceira posição após o empate sem gols. O time de Felipão ainda ocupa a 17ª colocação, povoando o Z4. Na próxima rodada, os gaúchos recebem no Olímpico o Atlético-GO enquanto o Palmeiras enfrenta o Sport, ainda no Pacaembu.

Jogo começa disputado, Kleber acaba expulso e Palmeiras não consegue aproveitar vantagem numérica


A fria noite paulista que se fazia cenário da partida entre Palmeiras e Cruzeiro não pareceu contagiar os jogadores de ambas as equipes. Voltando de lesão, Luan demonstrou a velha forma nas reclamações com a arbitragem, assim como os dois técnicos e Kleber. As duras divididas protagonizaram os primeiros minutos até movimentados, que trouxeram um Palmeiras tentando pressionar um Grêmio bem armado.

Quem mais tocava na bola eram os armadores coadjuvantes das duas equipes: Marco Antônio do lado gremista e Tiago Real - estreando com a camisa do Palmeiras. Os meias buscavam mostrar serviço e organizavam bem o meio de campo nos primeiros quinze minutos. Aos 8, Barcos foi quem trouxe pelo meio e tabelou com Luan, ficando de frente para o gol. Na hora da conclusão, Werley chegou bloqueando o chute do argentino, no que seria uma ótima chance de abrir o placar.

Aos 13 minutos, uma falta de Souza perto da linha lateral não elevou os ânimos dos jogadores em campo mais que o normal, mas foi o bastante para Kleber levar o cartão amarelo do árbitro Sandro Meira Ricci. Apenas 3 minutos depois, o mesmo atacante abriu demais o braço em disputa de bola com Henrique bem na frente do árbitro, que nem esperou ele se levantar para mostrar o segundo amarelo. Confusão formada, todos os jogadores do Grêmio cercaram-no, mas na sequência foi mostrado o vermelho, deixando o time gaúcho com um jogador a menos e o técnico Luxemburgo com o tradicional sorriso irônico no rosto.

Daí em diante o Palmeiras aumentou sua posse de bola e ensaiou uma pressão ao Grêmio, mas faltou velocidade para agredir o time gaúcho com mais efetividade. O bom esquema montado por Vanderlei Luxemburgo não poderia ser facilmente penetrado, e o Palmeiras arriscava pouco (e mal) de fora da área. Quem mais chegava era João Vitor, mais pela insistência que pela técnica, e Arthur, insistindo em cruzamento na área. Barcos tentava a movimentação, mas seus companheiros pouco trabalhavam a bola e tinham não muita paciência para trabalhar a jogada próxima à área.

A melhor chance de gol acabou sendo do Grêmio, no fim das contas. Aos 44 minutos, Luan dominou bola alta no ataque e descolou enfiada de bola sensacional para Zé Roberto, nas costas da zaga. O meia fintou o goleiro Bruno e bateu quase sem ângulo. A bola foi cortada por Thiago Heleno e resvalou em sua mão esquerda, geral muita reclamação e até um amarelo para Marcelo Moreno.

Sem força ofensiva, Verdão fica na retranca de Luxemburgo e Grêmio ainda ataca

Com Correa no lugar de Artur, o Palmeiras retornou para a segunda etapa disposto a abrir o placar e sair vencedor do duelo, principalmente pela vantagem numérica. A principal arma do recém-contratado volante - o chute de fora da área - parecia ser a única saída para o time de Luiz Felipe Scolari conseguir marcar. Logo no primeiro minuto, pareceu que funcionaria. Falta na intermediária que Correa cobrou: ela cruzou a área e saiu à direita de Marcelo Grohe tirando tinta da trave.

Logo na sequência, um minuto depois, Tiago Real pegou sobra de bola dividida dentro da área e bateu levando também muito perigo ao gol do Grêmio. No entanto, a pressão inicial que não resultou em gols pareceu devolver ao jogo o caráter do primeiro tempo após a expulsão. Com a diferença que o Grêmio ainda se aventurou ao ataque.

Com 10 minutos de segunda etapa, Anderson Pico enfiou bola para Zé Roberto, que passou pela marcação à esquerda da área e rolou para Marcelo Moreno finalizar já com Bruno vendido no lance. Maurício Ramos salvou a pátria palmeirense bloqueando o chute. Maikon Leite respondeu com uma bomba de fora da área que Grohe mandou pra escanteio, dois minutos depois.

O jogo voltou a se acomodar entre a firme defesa do Grêmio e o pouco agressivo ataque palmeirense, que mesmo em vantagem numérica não conseguia criar jogadas de efeito. Somente aos 22 minutos, novamente em chute de longe, o time da casa voltou a assustar os gaúchos. Mazinho, que havia entrado no lugar de Luan, arriscou de perna canhota e obrigou Marcelo Grohe a praticar boa defesa, espalmando.

Aos 40 minutos, Barcos quase conseguiu em lance despretensioso o que o time de Felipão tentou ao longo de toda a partida. Após receber passe dentro da área mas já marcado, o atacante levou para o fundo e quase sem ângulo bateu de cobertura, surpreendendo o goleiro gremista que só olhou e rezou para a bola não entrar. De fato ela não entrou - mas foi por pouco, parou no travessão. No fim, a superação do time visitante prevaleceu sobre o cartão vermelho recebido pelo ex-Palmeiras Kleber, com apenas 16 minutos de jogo.


Relacionados