thumbnail Olá,
Ao Vivo

Campeonato Brasileiro

  • 11 de novembro de 2012
  • • 17:00
  • • Prudentão, Presidente Prudente, São Paulo
  • Árbitro: Leandro Pedro Vuaden
  • • Público total: 8461
2
TF
3

Palmeiras 2 x 3 Fluminense: Com final de novela, Flu vence o Palmeiras e é tetracampeão brasileiro

Palmeiras 2 x 3 Fluminense: Com final de novela, Flu vence o Palmeiras e é tetracampeão brasileiro

Nelson Perez/Fluminense FC

Após estar ganhando por dois a zero e ver o valente adversário empatar com gols de Barcos e Patrick Vieira, Fred marca o gol do título aos 42 da última etapa.

Se há algumas semanas, Carminha e compania agitavam as rodas de conversa e geravam tensão durante os capítulos de "Avenida Brasil", última novela das oito, o que fez o Fluminense nesta reta final de Brasileirão foi coisa de cinema. E na partida que se sagraria campeão não poderia ser diferente.
Após um jogo tenso, o time do técnico Abel Braga e do artilheiro Fred saiu vencedor e, contando com o empate do Atlético-MG com o Vasco, acabou se tornando o mais novo tetracampeão brasileiro. Os gols foram marcados por Fred (2) e Maurício Ramos (contra).

Tensão dos dois lados mantém jogo morno, mas Flu marca no último lance da primeira etapa

Precisando desesperadamente do resultado, quem mais buscou o jogo durante o primeiro tempo foi o Palmeiras. Com algumas alterações em sua escalação, o técnico Gilson Kleina buscou tornar o time mais ofensivo. A entrada de Patrick Vieira, atuando quase como um atacante pelas pontas - se revezando com Barcos, deixando Obina mais à frente - deu boa movimentação ao ataque.

O Fluminense bem que tentou segurar a bola, mas se manteve com menos posse no início da primeira metade do jogo. Enquanto as jogadas pelas laterais saíam com mais facilidade, principalmente com Bruno Vieira pela direita, Thiago Neves sentia grande dificuldade na armação, também em consequência da atuação ruim de Rafael Sóbis - o técnico Abel Braga reclamou bastante de seu posicionamento.

Apesar do panorama inicial, a primeira chance da partida saiu dos pés do Flu. Ou melhor, da cabeça. Com algum espaço, Bruno cruzou e Fred cabeceou com firmeza, mas no meio do gol. Mesmo assim, obrigou o goleiro do Palmeiras a realizar sua primeira boa defesa aos 12 minutos.

A resposta alviverde veio na mesma moeda, mas faltou precisão. Cobrança de escanteio de Marcos Assunção e Barcos subiu completamente livre, aos 25 minutos, mas testou por cima do gol de Diego Cavalieri. A essa altura o tricolor carioca já havia equilibrado um pouco mais a partida, sem no entanto, assustar muito a defesa palmeirense.

Enquanto os donos da casa insistiam nos levantamentos na área, o Flu tentava entrar tocando, mas esbarrava na forte marcação pelo meio. A solução foi recorrer ao mesmo recurso do adversário, e assim obter sua principal oportunidade até aquele momento da partida. Com 38 minutos, Gum encontrou espaço e levantou na área buscando Fred, que conseguiu se desvencilhar da marcação e carimbar a trave esquerda de Bruno, em mais um lance pelo alto.

A jogada retratava um Palmeiras bastante recuado na hora de se defender, e foi esse tipo de posicionamento que permitiu o gol do Fluminense. Rafael Sóbis, numa das suas poucas aparições, apareceu com a bola dominada na entrada da área e enfiou para Wellington Nem, na risca da pequena área. O atacante finalizou rasteiro, viu Bruno realizar mais uma boa defesa e no rebote o artilheiro do campeonato marcar mais um gol. Fred, no lance que antecedeu o último apito do árbitro no primeiro tempo, colocou os visitantes na frente do placar: um a zero.

Dois gols em três minutos quase tiram título do Flu, mas artilheiro Fred garante o tetra

O segundo tempo começou sem pressa por parte do Fluminense. A vantagem no placar aliada ao desespero do Palmeiras elaboravam uma tática bastante óbvia: esperar o adversário e sair no contra-ataque. Ainda assim, nada de retranca para o líder: logo aos 5 minutos, Sóbis aproveitou rebote de Bruno e marcou o que seria o segundo gol, mas o árbitro marcou impedimento.

Três minutos depois, a tal "sorte de campeão" tanto ressaltada por adversários e rivais se manifestou mais uma vez. Em jogada pela direita, Fred - dessa vez como garçom - levantou a cabeça e buscou Sóbis, exercendo papel de centroavante. Mas a bola encontrou Maurício Ramos no meio do caminho e caprichosamente encobriu o goleiro Bruno, aumentando a vantagem no placar.

Apesar do resultado até então adverso, o time paulista desfilava em campo uma vontade que não foi diminuída hora nenhuma pela atuação do adversário. A cada bola levantada na área do Flu, era visível o esforço dos jogadores para marcar. Numa dessas bolas, Barcos aproveitou a sobra de cobrança de escanteio e de seu "habitat natural", perto da pequena área, mandou para o fundo do gol aos 15 minutos. Mais: colocou a bola no meio, revelando o que todos os presentes já sabiam. O Palmeiras não desistiria.


Se pouco antes o jogo parecia ganhou e as lentes da televisão já filmavam as faixas de campeão brasileiro na arquibancada visitante, a sequência alviverde foi acachapante. Menos de quatro minutos depois de marcar com sua estrela maior, o argentino Barcos, os donos da casa chegaram ao empate com Patrick Vieira.

Após (mais uma) cobrança de falta na área, o jovem meia apareceu livre e cabeceou com precisão, no canto, sem chances para Cavalieri. Foi a primeira vez que o garoto, revelado na base alviverde, marcou com a camisa do time profissional.

Assim, o jogo parecia ter voltado à estaca zero. Só que faltando menos de meia hora. E valendo possivelmente o título para o Fluminense. Com a partida lá e cá, as chances surgiam a cada campanha ofensiva dos times. Aos 30 minutos, Cavalieri justificou os gritos entoados nas arquibancadas de "melhor goleiro do Brasil" e impediu o empate do Palmeiras em chute à queima-roupa de Maurício Ramos, quase dentro da pequena área.

Com o apito final em São Januário, sacramentando o empate entre Vasco e Atlético-MG, nada mais do que um gol separava o Fluminense do título no fim do jogo. Aos 37, Fred dominou com a frieza característica e ficou cara a cara com Bruno, dentro da área. Mas parece que a facilidade não seduz o time carioca, e o artilheiro mandou na rede pelo lado de fora, desperdiçando chance incrível.

O Palmeiras, sem desistir, jogava com João Denoni e Corrêa machucados em campo, pois já havia feito três alterações. Faltava capricho ao tricolor. Capricho que Jean, um dos destaques da equipe durante toda a campanha de 2012, teve aos 42. Ele recebeu na direita, levantou a cabeça e deu uma assistência para Fred, na marca do pênalti. Uma não, "a" assistência. Gol do Fluminense, 19º do centroavante e taça direto para Laranjeiras.

Relacionados