thumbnail Olá,
Ao Vivo

Copa Bridgestone Sul-Americana

  • 1 de agosto de 2012
  • • 21:50
  • • Pacaembu, São Paulo, São Paulo
  • Árbitro: Heber Roberto Lopes
2
TF
0

Palmeiras 2 x 0 Botafogo: Barcos marca duas vezes e encaminha classificação alviverde

Palmeiras 2 x 0 Botafogo: Barcos marca duas vezes e encaminha classificação alviverde

Vice-artilheiro da Copa Sul-Americana de 2011, Hernán Barcos não decepcionou no seu retorno à competição. Com dois gols dele, o Palmeiras fez ótimo segundo tempo e bateu o Botafogo

De maneira geral, a Copa Sul-Americana ainda não é um campeonato de grande interesse para as equipes brasileiras. Exceção feita ao Internacional em 2008, que foi campeão ao bater o Estudiantes, e ao Vasco da Gama, que no ano passado chegou até as semifinais mesmo envolvido na disputa pelo título brasileiro. Quase sempre a vaga para Sul-Americana é um consolo para os times que não vão para Libertadores e um prêmio para as equipes que pontuam um pouco além do necessário para escapar do rebaixamento. Por conta disso, não é raro a utilização de reservas.

No jogo de hoje, disputado na Arena Barueri, Palmeiras e Botafogo não mandaram a campo um time reserva, sequer misto: do lado alvinegro, apenas a estrela da companhia não foi a campo, o meia Clareence Seedorf. Do lado alviverde, Valdivia, mais uma vez machucado, era a maior ausência do time que já está garantido na Libertadores do ano que vem, e que, nas palavras de Felipão, usará a competição como um laboratório.

Domínio alvinegro na primeira etapa

Talvez o grande atrativo da partida fosse o reencontro entre Oswaldo de Oliveira e Luiz Felipe Scolari, que protagonizaram grandes duelos em 1999 e 2000 pela Libertadores, entre Corinthians e Palmeiras, respectivamente. Felipão, porém, não esteve a beira do campo: segundo foi divulgado, o técnico palmeirense ficou sabendo que um dos bandeirinhas do jogo de hoje, Roberto Braatz, teria chamado sua equipe de "muito ruinzinha" na última partida do Verdão pelo Campeonato Brasileiro, contra o Cruzeiro. Por conta disso, e conhecedor de seu próprio temperamento, Felipão preferiu mandar seu fiel assistente Murtosa para a beira do campo.

Dentro de campo, o que se viu foi um Botafogo mais disposto a buscar a vitória, e que dominou as ações da primeira etapa. Aos 18, Andrezinho lançou Jadson em contra-ataque. O jovem volante avançou, driblou e devolveu para o meia alvinegro, que bateu com categoria e viu a bola explodir no travessão. Quatro minutos depois, Elkeson se aproveitou de falha de Maurício Ramos e deu lindo passe para Vitor Junior. Livre dentro da área, era só o meia escolher o canto e partir para o abraço, mas ele preferiu a força, e chutou em cima do goleiro Bruno.  Um minuto depois, um lance curioso na Arena Barueri: a bola foi parar no meio da arquibancada e um torcedor, ao devolvê-la, acertou a cabeça do assistente Altemir Haussman, fazendo a torcida do Palmeiras vibrar como se fosse um gol.

O Palmeiras não conseguia criar jogadas, e o 4-3-3 com Mazinho e Maikon Leite nas pontas e Barcos de referência praticamente não rendeu lance de perigo. Tanto que perto dos 40 minutos Mazinho deu lugar a Obina, numa tentativa de incomodar mais a zaga do Botafogo. Entretanto, aos 42, Lucas perdeu boa chance ao receber lindo lançamento de Andrezinho dentro da área e chutar torto, em direção a lateral.

Pirata navega com tranquilidade e decide o jogo

Visando suprir a carência de um homem de criação, Felipão tirou Maikon Leite no intervalo e improvisou o lateral Fernandinho na armação pelo lado esquerdo. Mas com apenas 2 minutos do segundo tempo, o Palmeiras usou o lado direito para abrir o placar: Márcio Azevedo deu espaço para Artur cruzar e encontrar Barcos dentro da área. Se aproveitando da falha de Lucas, que não conseguiu o corte, o atacante palmeirense matou no peito e tocou no ângulo, colocando 1x0 no placar.

O Botafogo, como virou constante nos últimos anos, continuou a ter mais posse de bola, mas apresentou grande dificuldade para criar jogadas capazes de decidir a partida. No segundo tempo, viu a queda abrupta de produção de Andrezinho, destaque na etapa inicial, e o sumiço de Vitor Júnior e Fellype Gabriel da partida.

Sem jamais ter levado perigo ao gol de Bruno após sofrer o gol, o Botafogo viu Hernan Barcos ampliar o placar aos 20. Dessa vez o argentino recebeu lançamento de Artur na meia-lua, matou no peito com a mesma categoria, trocou de perna  tirando Fábio Ferreira da jogada e de canhota bateu colocado. A bola ainda tocou na trave antes de morrer no fundo do gol de Jefferson. Cinco minutos depois, Rafael Marques, que entrou no lugar de um apagadíssimo Fellype Gabriel, tabelou com Elkeson e invadiu a área livre. Lembrando o lance de Vitor Junior, o atacante alvinegro preferiu a força e mandou em cima do goleiro Bruno.

Até o fim do jogo o Palmeiras soube segurar a bola no ataque, utilizando a força da dupla Barcos e Obina, e também se aproveitou da péssima partida de Lucas e Márcio Azevedo. Os laterais alvinegros foram presas fáceis para Artur e Juninho, que levaram vantagem tanto no ataque quanto na defesa. Perto do fim, a desorganização alvinegra, manifesta nas diversas bolas levantadas por Andrezinho para a área, esbarraram na lucidez e no excelente segundo tempo do Palmeiras, deixando a classificação alviverde para as oitavas-de-final muito bem encaminhada.

Relacionados