thumbnail Olá,
Ao Vivo

Serie A TIM

  • 1 de março de 2013
  • • 16:45
  • • Stadio San Paolo, Napoli
  • Árbitro: D. Orsato
  • • Público total: 60000
1
TF
1

Napoli 1 x 1 Juventus: Em jogo equilibrado, Juve mantém a folga na ponta

Napoli 1 x 1 Juventus: Em jogo equilibrado, Juve mantém a folga na ponta

Getty Images

Início do jogo "engana" e duelo fica aberto com o decorrer da partida. Chiellini, voltando de lesão, marcou o gol da Juve enquanto Inler igualou o placar. Cavani segue sem marcar.

Por Matheus Quelhas

Se em decorrência dos últimos resultados, que eliminaram o Napoli da Liga Europa, e o fizeram empater três vezes na Serie A, alguém pensou que o adversário da Juventus seria menos difícil de ser batido, errou feio. Apesar de Cavani, que deveria ter sido expulso no fim da primeira etapa, os anfitriões jogaram de igual para igual e por pouco não viraram uma partida que começaram de forma apática.

Com o empate, a Juventus segue com seis pontos de vantagem sobre o Napoli na tabela do campeonato italiano, agora restando 11 rodadas para o fim. Na próxima rodada, os bianconeri recebem o Catania em casa, enquanto a equipe de Nápoles visita o Chievo. Antes, Pirlo e cia. ainda tem o Celtic, no jogo de volta das oitavas de final da Champions League, em casa (na partida de ida, vitória por 3 a 0).

Domínio da Juve não se reflete no placar da primeira etapa, que termina empatada

Aos onze segundos de jogo, o Napoli mostrou que poderia dificultar o caminho da Juve. Pandev venceu Chiellini pela direita e cruzou para Hamsik, que pegou de primeira muito embaixo da bola. Porém logo depois os bianconeri tomaram conta da partida e se mantiveram no controle pelo menos até abrir o placar. Com 6 minutos, Giovinco bateu forte de perna esquerda e o goleiro De Sanctis espalmou do jeito que deu; na sobra, Vucinic desperdiçou ao testar muito mal, mas mãos do arqueiro.

Aos 9, Pirlo cobrou escanteio curto e recebeu a devolução, limpando a marcação e cruzando de perna canhota na segunda trave, para Chiellini subir no terceiro andar e testar para o fundo do gol: um a zero.

O gol não mudou a panorama do jogo - por hora. Aos 12, Lichtsteiner recebeu ótima enfiada de bola e esperou o contato de Inler, que aconteceu, para cair dentro da área. Nada marcado pelo árbitro Daniele Orsato e muita reclamação do lateral, que queria a penalidade. Um minuto depois, em mais uma decisão controversa, o comandante do jogo não considerou faltoso o puxão de Behrami em Pirlo, e o Napoli quase marcou com Pandev.

Aos 15, Vidal cruzou na cabeça de Vucinic, que testou com consciência no contra-pé de De Sanctis, mas acabou mandando pra fora. As falhas de marcação dos Partenopei eram gritantes, e a mesma jogada se repetiu dois minutos depois. Barzagli lançou para Vidal, que dominou e achou Vucinic livre na área; desta vez o centroavante ajeitou com calma (e espaço) e arrematou para defesa milagrosa do goleiro do Napoli, que desviou com o braço direito para escanteio.

O lance pareceu acordar os donos da casa, que passaram a ensaiar uma pressão em cima do adversário. Apesar de não conseguir criar chances claras, pelo menos o Napoli ocupava mais o campo de ataque e rondava a área da Juve. Aos 27, Hamsik recebeu de Maggio em uma das poucas vezes que a defesa bianconeri não cortou o cruzamento, mas pegou mal na bola e desperdiçou o ataque.

Já nos dez minutos finais, o mesmo Hamsik dessa vez conseguiu finalizar de dentro da área, mas para sorte de Buffon a bola resvalou na defesa e sobrou fácil para ele fazer a defesa. Sem conseguir penetrar a a área adversária, os chutes de fora da área foram um recurso muito utilizado pelos jogadores Azzurri, principalmente Hamsik e Zuñiga. Mas não foi nenhum deles que marcou utilizando o fundamento. Quando o primeiro tempo já se encaminhava para o fim, o suíço Inler arriscou de fora, Bonucci desviou levemente e a bola morreu no ângulo da meta de Buffon.



Apesar de inferior durante a primeira metade do duelo, o Napoli igualou o placar na base da insistência, e viria para a segunda etapa com sede de gols. Por negligência do árbitro Daniele Orsato, Cavani ainda seguiu em campo após cotovelada em Chiellini já nos acréscimos, relatada pelo árbitro atrás do gol e punida somente com cartão amarelo. A expulsão do artilheiro uruguaio seria muito sentida pela equipe mandante.

Napoli melhora, mas perde chances e não consegue bater a Vecchia Signora

Aos 13, Buffon realizou sua primeira boa defesa, em chute do incansável Hamsik, de fora da área. Com 19, Cavani ia recebendo livre na segunda trave mas Bonucci apareceu para desviar - dessa vez pra fora, em escanteio. Na cobrança, muita confusão na área da Juve e por pouco não sai o gol da virada, em jogada que ainda teve muita reclamação dos jogadores do Napoli, pedindo pênalti de Chiellini em Cavani.

Com maior volume de jogo, o time da casa voltou a assustar aos 22, quando Maggio bateu cruzado na direção do ângulo, mas Buffon, atento, espalmou. Pouco antes Insigne havia substituído Pandev, o que conferiu maior velocidade ao ataque Partenopei.

Até que aos 27 minutos, o lance que pode ter definido o placar: chutaço (mais um) de Hamsik e bola mal espalmada por Buffon, que viu Dzemaili chegar sozinho e bater à direita da meta, desperdiçando a oportunidade mais clara da partida.

Antes do fim, apesar de manter o controle do jogo, os comandados de Mazarri só voltaram a chegar com perigo em chute de Inler, que quase se tornou o herói do jogo aos 38 minutos, porém Buffon tirou com a ponta dos dedos.

No apito final de Daniele Orsatto, duas certezas: o Napoli, apesar da fase ruim viviva nos últimos compromissos, sem dúvida é uma equipe pronta para tomar a liderança da Juventus em caso de "cochilada" dos bianconeri; além disso, as controversas decisões do árbitro poderiam ter mudado o rumo da partida, principalmente com a expulsão de Cavani - que por sinal (esse sim), vive má fase e seca que já chega a seis jogos.

Relacionados