thumbnail Olá,
Ao Vivo

Brasileirão Série A

  • 5 de setembro de 2012
  • • 19:30
  • • Aflitos, Recife, Pernambuco
  • Árbitro: Leandro Pedro Vuaden
  • • Público total: 13041
1
TF
1

Náutico 1 x 1 Vasco: Náutico não aproveita primeiro tempo apático do Vasco e cede empate na segunda etapa

Náutico 1 x 1 Vasco: Náutico não aproveita primeiro tempo apático do Vasco e cede empate na segunda etapa

Marcelo Sadio/vasco.com.br

Após primeiro tempo ruim, Náutico sai na frente. Vasco volta melhor e empata, mas lesões atrapalham time carioca. Gol anulado de Araújo e pênalti em Nilton geram reclamações.

Muito desfalcado, Vasco joga apenas segundo tempo e arranca empate mesmo jogando no sacrifício. Náutico pressiona mas não consegue sair com a vitória. Na próxima rodada, o Náutico 11º colocado vai ao Engenhão enfrentar o Botafogo e o Vasco, que se manteve no G4, recebe o Bahia em São Januário.

Com escalação defensiva, Vasco entra retrancado e Náutico aproveita


As ausências de Juninho Pernambucano e Felipe, lesionados, e Dedé, que está com a seleção brasileira, levavam a crer numa escalação com três volantes e Carlos Alberto sozinho na armação de jogadas. Mas Cristóvão Borges surpreendeu e mandou a campo uma formação com 4 volantes, sendo Fellipe Bastos o responsável por substituir Juninho no meio campo vascaíno.

É claro que o Náutico, jogando em casa, não tinha nada a ver com isso. A volta de Kieza, após dois jogos fora, e  as chegadas de Souza pela esquerda e Rhayner pela direita - a mais perigosa durante o primeiro tempo - mantinham a defesa adversária em constante alerta. Logo no primeiro minuto de jogo Kieza tabelou com Araújo e ficou na cara do goleiro Fernando Prass, que conseguiu sair rapidamente e contou com uma finalização ruim do atacante.

Aos 19 minutos, nova chegada perigosíssima, dessa vez com Rhayner pela direita. O jovem atacante não tomou conhecimento de Fabrício, invadiu a área pela direita mas perdeu tempo na hora de finalizar, e quando bateu rasteiro Jonas chegou salvando por baixo.

O Vasco bem que tentava segurar a bola no ataque, seguindo as instruções de seu treinador à beira do gramado (irregular), mas mesmo com a dupla formada por Alecsandro e Tenorio saindo constantemente da área para trabalhar jogadas ofensivas, dificilmente alguma era criada.

A principal chance dos visitantes aconteceu aos 36 minutos, numa das raras vezes que o Vasco conseguiu trocar passes no campo adversário. William Matheus recebeu pela esquerda e cruzou na medida para Tenorio, que matou no peito e mandou de bicicleta, por cima do gol.

E se o Náutico não criava tantas chances perigosas apesar do domínio e da postura ofensiva, no final do primeiro tempo veio o prêmio pela superioridade. Lançamento para Rhayner, que entrava em velocidade. O atacante cruzou para o meio, a defesa cortou mal e a bola sobrou à caráter para Kieza voltar ao time fazendo o que mais gosta: gols. Um a zero Náutico, no justo placar da primeira etapa.

Vasco melhora no segundo tempo mas lesões atrapalham; polêmicas também marcam segunda metade do jogo

O Vasco fez duas substituições ainda no intervalo: saíram Eduardo Costa e Jonas para a entrada de Carlos Alberto e Auremir. As mudanças deram mais volume de jogo ao time cruzmaltino, que passou a se organizar melhor em campo, ocupando mais espaços, e a trocar mais passes no campo de ataque.

Aos 8 minutos, essa melhor organização se transformou no gol de empate vascaíno. Carlos Alberto segurou a bola pelo lado esquerdo, trabalhou pelo meio com Nilton, que abriu com Fellipe Bastos. O volante ajeitou e mandou uma bomba no ângulo direito do gol do Náutico, sem chances para Gideão.

Mas logo após o time visistante pôr fogo no jogo, Auremir sentiu lesão aos 16 minutos no músculo posterior da coxa esquerda e acabou tendo de ser substituído por Luan, que atuou improvisado na lateral direita. A substituição foi péssima para o time de Cristóvão, já que Tenorio não atuaria os 90 minutos. Pior ainda quando alguns minutos mais tarde Fellipe Bastos também sentiu lesão mas se manteve em campo no sacrifício.

E foi com 16 minutos de segundo tempo que ocorreu o lance que gerou mais reclamção por parte do Náutico. Araújo entrou em velocidade, recebeu lançamento e marcou o segundo do Timbu. Mas o assistente assinalou impedimento no lance, para desespero dos mais de 13 mil presentes.

Tenorio respondeu pelo Vasco aos 25 minutos. Luan mandou um chutão para o ataque e encontrou o equatoriano em excelente posição, completamente livre e com muito espaço à frente. O atacante disparou com a bola e bateu cruzado, mandando pra fora e desperdiçando ótima chance.

Depois, com o time exaurido em campo, a pressão do Náutico foi grande. Martinez, em chute de fora, e Souza, na sequência, quase colocaram o time da casa em vantagem. Aos 43, Dimba recebeu na frente e bateu rasteiro, mas a bola parou em Fernando Prass, que evitou o segundo gol. No último minuto o lance mais polêmico do jogo: após escanteio cobrado por Fellipe Bastos, a bola encontrou Nilton na entrada da área. O volante fez o drible em cima de Souza e foi tocado quando armava o chute, mas o árbitro Leandro Pedro Vuaden ignorou o lance e encerrou o confronto nos Aflitos.

    
   

Relacionados