thumbnail Olá,
Ao Vivo

Copa das Confederações

  • 19 de junho de 2013
  • • 19:00
  • • Arena Pernambuco, Recife, Pernambuco
  • Árbitro: D. Abal
  • • Público total: 40489
4
TF
3

Itália vence o Japão de virada

Itália 4x3 Japão: Azzurra vence no sufoco e elimina o Japão

Itália vence o Japão de virada

Getty Images

Com o resultado, Itália e Brasil estão na próxima fase da Copa das Confederações

Pelo Grupo A, da Copa das Confederações, Itália e Japão fizeram um jogo emocionante nesta quarta-feira na Arena Pernambuco, em Recife. Foram sete gols marcados na partida que terminou 4 a 3 para a Azzurra. 

Com o resultado a Itália está classificada para a próxima fase, assim como o Brasil que é seu próximo adversário. As equipes jogarão no sábado, às 16 horas, na Arena Fonte Nova, em Salvador. No mesmo dia e horário, o Japão enfrentará o também eliminado México, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Japão domina a partida e sai na frente no primeiro tempo

O jogo começou pontualmente às 19h, com a saída de bola da Itália. Na primeira vez que o craque Mario Balotelli, da Azzura, recebeu a bola sofreu falta. O que demonstrou ainda nos primeiros minutos da partida que a marcação dos japoneses seria forte.

Com Kagawa inspirado e veloz, o Japão começou o jogo invadindo a defesa italiana, que afastava o perigo como dava. Aos 4 min, o goleiro Buffon fez a primeira defesa, após Maeda receber do camisa 10 e cabecear sozinho.

Aos 10 min, a Itália tentou sem sucesso ir ao ataque, Balotelli saiu da marcação adversária e cruzou, mas o goleiro afastou. A partir dos 15 min, o Japão diminuiu um pouco o ritmo dando mais espaço para a Itália, mesmo assim a Azzura não levava perigo.

Aos 19 min, o esforço dos japoneses foi recompensado. Após De Sciglio recuar mal, Buffon deu um carrinho no atacante Okazaki. O juiz marcou a penalidade, Honda não desperdiçou e bateu forte no canto abrindo o placar.

Neymar, Brazil, Mexico

Após o gol, o Japão continuou demonstrando um bom futebol e chegando ao ataque. Os craques da Itália, Pirlo e Balotelli quase não pegavam na bola. Aos 30 min, o técnico Cesare Prandeli colocou Giovinco no lugar de Aquilani na tentativa de melhorar a equipe que até então era dominada pelos adversários.

Aos 32 min, Kagawa apareceu mais uma vez. O camisa 10 recebeu na área, girou e ampliou o placar com um belo gol. A partir deste momento a torcida presente na Arena Pernambuco começou a gritar “olé” apoiando o Japão.

No final do primeiro tempo a Itália foi para o tudo ou nada e conseguiu diminuir o resultado após uma cobrança de escanteio de Pirlo. De cabeça De Rossi deixou sua marca e deu novo fôlego para a Itália na partida. No último lance do primeiro tempo, Giancherinni ainda acertou a trave.

Itália volta com outra postura e vira ainda nos primeiros minutos da segunda etapa

Na volta para o segundo tempo, a Itália demonstrou que estava pronta para reagir. Logo aos 4 min, Giaccherinni invadiu a área e rolou para Balotelli, mas Uchida chegou antes na bola e marcou contra, empatando.

Já aos 6 min, após a bola encostar no braço de Haseb, o juiz marcou pênalti. Com paradinha, o craque Ballotelli fez o gol da virada, 3 a 2. Após o susto, o Japão não se abalou e continuou indo para o ataque, contando com o apoio dos torcedores. A partida então ficou equilibrada, com os dois times tentando marcar.

Aos 23 min, Endo cobrou falta na cabeça de Okazaki que empatou a partida, mostrando a força dos japoneses no jogo. Logo em seguida, a virada quase saiu dos pés de Honda que invadiu a área e chutou firme, mas Buffon defendeu.

Com Balotelli, a Itália tentou dar a resposta, mas o atacante dominou a bola com a mão. Já aos 36 min, por pouco o Japão não chegou ao gol da virada. Após rápido contra ataque, Okazaki acertou duas vezes a trave para o desespero dos torcedores.

Após a pressão do Japão, os italianos chegaram com De Rossi que passou para Marchisio. O meia tocou para Giovinco que fez o quarto gol da Itália.  Já aos 42, Okazaki acertou mais uma vez a trave e na sobra Yoshida marcou, mas estava em posição de impedimento. Esta foi a última chance dos japoneses, que com o resultado acabaram eliminados da Copa das Confederações.

Relacionados