thumbnail Olá,
Ao Vivo

Primera Division

  • 16 de fevereiro de 2013
  • • 17:00
  • • Estadio Nuevo Los Cármenes, Granada
  • Árbitro: Carlos Del Cerro Grande
  • • Público total: 22000
1
TF
2

Granada 1 x 2 Barcelona: Messi marca 300º gol e decide a partida

Granada 1 x 2 Barcelona: Messi marca 300º gol e decide a partida

Getty Images

Após sair perdendo num primeiro tempo pouco inspirado tanto da equipe como do argentino, Barça vira na segunda etapa com Messi marcando duas vezes.

Por Matheus Quelhas

Precisão do Granada vence desatenção culé

Logo aos três minutos, Messi enfiou para Sanchéz entrando livre na área pela esquerda e o chileno adiantou demais, deixando mais para o goleiro Toño, que saiu bem e evitou ótima chance. Aos seis, foi a vez do Granada chegar com perigo em chute de Nolito, que pegou de primeira o cruzamento de Nyon vindo da direita e obrigou Valdés a realizar boa defesa. Curiosamente, as duas jogadas se repetiriam de forma crucial para o andamento da partida.

Apesar de um início aguerrido, os rojiblancos foram rapidamente dominados pelo Barça, que ocupou o campo de ataque e buscava abrir o placar. Aos 16, Adriano levantou na medida para Fàbregas, que escorou para Messi na pequena área, livre, furar. Um minuto antes, Sanchéz havia recebido passe de Messi pela esquerda e errado feio o cruzamento que tentou de primeira.

Aos 22, Ighalo teve sua primeira chance com a bola nos pés e criou problemas para a defesa azul-grená. Após passar pela marcação de Fàbregas, o atacante emendou uma meia-lua em Mascherano e finalizaria de dentro da área não fosse a chegada providencial de Adriano, que ainda recebeu a falta. Ao contrário do Nigeriano, Sanchéz teve nada menos que sua terceira chance aos 25, quando recebeu mais uma vez de Messi pela esquerda mas errando o domínio viu a zaga chegar para afastar o perigo. E no duelo de atacantes, parece que o centroavante do Granada estava mesmo em uma melhor noite: na jogada seguinte, Nyon cruzou da direita, Nolito dessa vez escorou de cabeça e Ighalo - em posição duvidosa - mandou para as redes.

Adriano tentou igualar o placar aos 28, em chute cruzado que passou raspando o travessão adversário, mas foi Messi quem desperdiçou a oportunidade mais clara de empate. Aos 37 minutos, Mascherano levantou a cabeça do círculo central e fez lindo lançamento para Daniel Alves, na ponta direita. O lateral cruzou de primeira e encontrou o argentino, que viu Toño sair rápido e mandar pra escanteio uma chance clara, que não costuma ser perdida pelo craque.

Além da derrota parcial, o segundo gol contra os culés quase saiu dos pés de Thiago Alcântara. Aos 44, o filho do ex-jogador Mazinho deu passe totalmente errado na defesa e entregou nos pés de Aranda, que invadiu a área e finalizou para defesa segura de Valdés, que reclamou bastante com sua defesa. O Barcelona do primeiro tempo mostrou um nervosismo e uma afobação incomuns ao clube da catalunha nos últimos anos, talvez por estarem fora Xavi (machucado), Iniesta e Puyol (poupados), alguns dos pilares da equipe. No caso do zagueiro, as perigosas bolas aéres do Granada denotavam uma constante falha do sistema defensivo e marcavam sua ausência.

Messi "decide" jogar e Barça consegue a virada

"Se não vai por bem.. vai por mal." Provavelmente foi isso que pensou Cesc Fàbregas ao arriscar de fora da área, após um primeiro tempo de fracasso da tradicional pressão culé, na base da posse de bola. Com 4 minutos, o meia bateu no canto e Toño manteve a média de defesas indo buscar a finalização, o problema é que a rebatida saiu para o meio da área e Messi apareceu para marcar seu gol de número 300 na carreira, igualando o placar.

O gol fez crescer a superioridade do Barcelona na partida (se é que isso era possível), e aos 15 minutos Alexis Sanchéz teve no mínimo sua quarta chance de marcar, mas desperdiçou novamente. Bola longa de Fàbregas para o chileno, que saiu com muito espaço na cara do goleiro Toño, mas ao invés de servir Pedro - também livre - ele se enrolou com a bola e nem conseguiu finalizar. Foi o bastante para Jordi Roura - substituindo Villanova no banco de reservas - sacá-lo e lançar Tello no jogo.

Aos 20, Pedro seguiu a trilha de Fàbregas e mandou de fora da área um belo chute, que dessa vez não deu para o arqueiro do Granada, que mesmo se esticando todo teve de agradecer à trave direita, que foi carimbada pelo chute mas não deixou a bola entrar. Sete minutos depois, Messi pegou a bola em cobrança de falta e mandou no ângulo, fraco o bastante para Toño tocar nela mas forte o bastante para virar o jogo para o Barcelona. Gol de número 301 e também 37, na artilharia do campeonato nacional.

Apesar da vantagem no placar ter feito o líder do espanhol retomar sua tática usual de jogo, trocando muitos passes e esperando o tempo passar, a entrada do argentino Buonanotte, logo após o gol, e do atacante El-Arabi, ainda no início da segunda etapa, renderam alguns frutos para os rojiblancos, e o empate quase ocorreu antes do apito final.

Depois de Tello "imitar" Sanchéz e desperdiçar chance incrível aos 39 minutos, quando recebeu de Iniesta na direita e teve muito tempo para soltar uma bomba por cima do gol, mesmo com vários companheiros livres na área, Íñigo fez o mais difícil e testou nas mãos de Valdés praticamente dentro da pequena área, aos 43. E o que parecia ter sido a chance mais clara de empate, surpeendentemente acabou superada três minutos depois. Já nos acréscimos, Brahimi tabelou com El-Arabi e saiu na cara do gol, mas chutou à direita e socou a grama com a oportunidade perdida.

Melhor para os líderes, que mesmo no sufoco mantiveram pelo menos 12 pontos de diferença sobre o Atlético de Madrid (que podem chegar a 15), além de ter Messi mais do que consolidado como artilheiro da competição: ele chegou aos 37 e agora tem 13 gols a mais do que o português Cristiano Ronaldo, com 24. Na próxima rodada, o Barça enfrenta o Sevilla em casa, no sábado, e o Granada encara o Celta de Vigo fora de seus domínios, no domingo.

Relacionados