thumbnail Olá,
Ao Vivo

Copa Libertadores da América

  • 30 de janeiro de 2013
  • • 22:00
  • • Arena do Grêmio, Porto Alegre, Rio Grande do Sul
  • Árbitro: S. Laverni
1
PEN
0

Agregado 1 - 1, Grêmio vence por 5 - 4 nos pênaltis

Grêmio 1 x 0 LDU: Tricolor vence no tempo normal e Grohe garante vitória nos pênaltis

Grêmio 1 x 0 LDU: Tricolor vence no tempo normal e Grohe garante vitória nos pênaltis

Gremio - LDU

A Arena ainda deu um susto no torcedor, após o alambrado ceder durante 'avalanche'

Por Paulo Armando

O Grêmio sofreu, lutou, viu o alambrado da nova Arena ceder, mas conseguiu passar para a fase de grupos da Libertadores. A equipe venceu a LDU, por 1 a 0 no tempo regulamentar, e precisou contar com o brilho de Marcelo Grohe para vencer nos pênaltis por 5 a 4.

Com o resultado, a equipe entra para o Grupo 8 da Libertadores. O Tricolor não terá vida fácil, já que lutará com Fluminense, Caracas e Huachipato. A estreia acontece no dia 14 de fevereiro, contra o Huachipato, na Arena.

Muita pressão e muitos erros

O Grêmio começou o jogo pressionando a marcação da LDU e pareceu apostar nas jogada em velocidade de Eduardo Vargas, que jogava pela primeira vez como titular. Aos nove minutos, o chileno quase marcou, mas Domínguez defendeu com o peito.

A pressão aumentou e, enquanto a LDU prendia o jogo e aumentava a marcação, o Grêmio só criava em jogadas pelo meio. Vargas era a referência no ataque e ditava o ritmo, mas não se entendia com o resto do time, que errava o passe.

Aos 12 minutos, Elano cobrou falta bem e Domínguez defendeu bem. Com o passar do tempo, a LDU começou a explorar o ataque e encontrou as costas de Alex Telles, lateral esquerdo do Grêmio, um bom caminho.

O jogo ficou equilibrado e com muitos erros. Após cinco minutos de acréscimos, o primeiro tempo terminou sem gols e com classificação parcial da LDU.

Mais pressão, gol de Elano e susto com alambrado

O segundo tempo começou igual a primeira etapa, com o Grêmio pressionando e a LDU se defendendo de qualquer jeito. Porém, Luxemburgo fez mudanças ofensivas, colocou Willian José e André Lima, nos lugares de Marcelo Moreno e Fernando.

Com três atacantes, a equipe ficou bastante ofensiva, mas também desorganizada. Eduardo Vargas, melhor do primeiro tempo, desapareceu da partida. E o meio-campo tricolor começou a decidir o jogo e a vaga.

Aos 60 minutos, Elano cobrou falta com categoria e viu Domínguez realizar um milagre. Porém, no minuto seguinte, o meia arriscou chute de fora da área, a bola desviou no zagueiro e entrou na ângulo. Avalanche na torcida e um susto, pois o alambrado da Arena cedeu e alguns jogadores se machucaram, porém nada sério.

Após uma pausa para o atendimento da situação, o jogo voltou com mais pressão do Grêmio e com pouca finalização.  No final do jogo, Hurtado deu uma voadora na cabeça de Deretti e foi expulso, porém faltou tempo para o tricolor aproveitar a vantagem

Reserva ou Herói?

A decisão foi para os pênaltis e o silêncio na Arena dava o tom da pressão que o Grêmio sofria. E, após André Lima e Saritama marcarem os primeiros gols nas penalidades, Saimon errou e colou mais drama na decisão.

Mas tudo começou a melhorar, após o Reasco carimbar o pênalti dele na trave. Nas primeiras dez batidas, 4 a 4. Nas alternadas, o goleiro reserva brilhou. Após Alex Telles marcar o quinto, Morante cobrou no meio e Marcelo Grohe defendeu com os pés. O reserva de Dida, grande defensor de pênalti, garantiu a vaga.

Relacionados