thumbnail Olá,
Ao Vivo

Amistoso

  • 6 de fevereiro de 2013
  • • 18:00
  • • Stade de France, Paris
  • Árbitro: P. Mazzoleni
  • • Público total: 75000
1
TF
2

França 1-2 Alemanha: de virada, alemães vencem franceses fora de casa

França 1-2 Alemanha: de virada, alemães vencem franceses fora de casa

Getty Images

Foi de virada. Ribéry e Valbuena fizeram grande partida pela França, mas não foi o bastante para deter a Alemanha, que encontrou seus espaços e garantiu a vitória.

Por Emanoel Ferreira

Os históricos rivais França e Alemanha se enfrentaram hoje no Stade de France. Os bávaros já não venciam os franceses há 25 anos, num tabu realmente incômodo.

Foram os franceses que marcaram primeiro, aos 44’ do primeiro tempo, com Valbuena. O empate alemão só veio aos 6’ do segundo tempo, com Thomas Müller. A virada aconteceu aos 29’ do segundo tempo, com Sami Khedira.

 

PRIMEIRO TEMPO

 

O jogo foi, desde o início, muito movimentado. A tática das equipes se concordavam num ponto em comum: atacar em velocidade. Pela França, Ribéry desequilibrava, tecendo jogadas inteligentes e fomentando a troca de passes ligeira que permitia a França desafogar da marcação forte do adversário. Pela Alemanha, Podolski procurava tabelar com Özil e Mario Gomez, que esteve apagado durante o tempo que esteve em campo (foi substituído aos 13’ do segundo tempo por Toni Kroos).

Na primeira etapa, pode-se dizer que a Alemanha teve o domínio das ações. A França procura trabalhar a bola quando a tinha, mas a maior virtude de sua indigesta visitante era a perícia em manter a posse de bola. O francês Sagna esteve mal durante boa parte do tempo, tomando bola nas costas e permitindo um verdadeiro corredor para os alemães. Aos 29’ do primeiro tempo, Ribéry conversava com ele, provavelmente tentando tranquilizá-lo dentro do jogo.

Aos 43’ do primeiro tempo, a França atacava com Matuidi, mas ele foi duramente acertado por Khedira, que chegou atropelando. Falta assinalada. Na cobrança, aos 44’, Benzema acertou o travessão e, na sobra, Valbuena acertou a redonda de cabeça a abriu o placar no Stade de France. França 1-0 Alemanha.

 

SEGUNDO TEMPO

 

A seleção francesa precisava manter seu resultado e, cautelosamente, ampliá-lo. Por outro lado, era dever da Alemanha converter em gols o domínio que exerceu durante a primeira etapa.

Logo nos primeiro minutos do segundo tempo, era fácil perceber a gana com a qual a França havia retornado. Ribéry e, com grande destaque, Valbuena, o homem do gol, protagonizavam lances de fazer gelar o mais inexpressivo alemão.

Mas foi a Alemanha quem marcou. Aos 6’, em contra-ataque alucinantemente veloz, Muller recebeu dentro da área e fuzilou para o gol. França 1-1 Alemanha.

O caminho natural seria as forças se equilibrarem. Mas a França continuava encima, mesmo após o gol de empate, hora com Evra e seus cruzamentos venenosos na área, hora com Valbuena e Ribéry, sempre abrindo passes pelos flancos.  Curiosamente, os alemães ostentavam maior posse de bola, de maneira que, aos 17’ do segundo tempo, já detinham 58% do tempo de bola rolando. Apesar disso, era a França quem criava jogadas mais agudas e aproveitava melhor suas chegadas ao gol adversário.

Aos 20’ do segundo tempo, Valbuena tramou uma envolvente tabela com Benzema e arriscou de fora da área, fazendo a torcida se levantar no State de France. Um minuto mais tarde, aos 21’, lá estava Valbuena novamente, agora indo à linha de fundo e cruzando baixo, para Ribéry bater prensado e errar um gol incrível.

Aos 29’ do segundo tempo, o castigo: em novo contra-ataque rápido, Khedira recebeu em profundidade e, quase na pequena área, fuzilou o gol francês para virar o placar fora de casa. França 1-2 Alemanha.

Daí por diante, a Alemanha pressionou a saída de bola francesa e, tranquila, garantiu uma vitória sobre os velhos e tradicionais rivais depois de 25 anos em seco.

Relacionados