thumbnail Olá,
Ao Vivo

Brasileirão Série A

  • 2 de dezembro de 2012
  • • 17:00
  • • Engenhão, Rio de Janeiro
  • Árbitro: Grazianni Maciel Rocha
  • • Público total: 8779
1
TF
2

Fluminense 1 x 2 Vasco: Éder Luis desencanta e Vasco carimba timidamente faixa de campeão do Flu

Fluminense 1 x 2 Vasco: Éder Luis desencanta e Vasco carimba timidamente faixa de campeão do Flu

Marcelo Sadio/vasco.com.br

No Engenhão, times só marcaram na segunda etapa. Com um gol no Brasileirão 2012 até então, Éder Luis é destaque do jogo com dois tentos convertidos. Marcos Jr. descontou de penalti

Em partida válida pela última rodada do Brasileirão 2012, o Vasco venceu o Fluminense e chegou à 5ª posição. Se o São Paulo sagrar-se campeão da Copa Sulamericana, os cruzmaltinos terão o privilégio de ir direto às oitavas de final da Copa do Brasil. Enquanto isso, o rival tricolor pouco se incomodou com a derrota, salvo o desejo geral pela quebra do recorde pertencente ao São Paulo de 2006, que atingiu 77 pontos na tabela de classificação.

Primeira etapa morna constrasta com Abel à beira do gramado

Campeão Brasileiro, da América e Mundial. O currículo do técnico Abel Braga é de causar inveja em praticamente todo treinador brasileiro. E uma das características mais citadas por aqueles que trabalharam com o ex-zagueiro e atual comandante do Fluminense é a postura séria, independente da partida. Neste domingo, no Engenhão, Abel manteve a "linha dura"  e cobrou muitos seus atletas, em sua maioria jovens jogadores.

Isso também em função de duas oportunidades claras criadas pelo Vasco logo no início do jogo. Aos 2 minutos, tabela entre Max e Eder Luis e o lateral chegou com espaço dentro da área. Sem muito ângulo, bateu em cima do goleiro Berna. Logo depois, em cobrança de escanteio, Douglas subiu completamente livre e testou firme, porém por cima do gol.

Se os dois lances foram grandes oportunidades para o Vasco, o Fluminense ainda não havia chegado com perigo. Mas o tricolor respondeu aos 12, com Fabio Braga. Marlone tentou o chutão e deixou nos pés do volante, na entrada da pequena área, que bateu cruzado direto pra fora. Ótima chance perdida e desespero do pai e treinador Abel na área técnica.

Claramente sentindo a falta de ritmo de jogo e de entrosamento, os jogadores vascaínos não conseguiam mais chegar com perigo ao ataque, esbarrando principalmente nos erros de passe; e com exceção das duas grandes chances no início, passou a ser dominado pelo Flu, que mantinha melhor a posse de bola.

Com as duas equipes sem tantas pretensões no jogo, a partida se arrastou até os 35 minutos, quando Marcos Junior realizou lançamento primoroso para Higor, em velocidade, invadir sozinho a área cruzmaltina. O meia dominou bem, mas a batida saiu fraca, facilitando a vida de Alessandro. Antes do apito final no primeiro tempo, Éder assustou Berna aos 44 em cobrança de falta, o que viria a ser um presságio da segunda etapa.

Éder Luis desencanta em dobro e Vasco bate o campeão Flu


Assim como nos primeiros 45 minutos, o time de Abel Braga voltou ao gramado com mais lucidez nas jogadas ofensivas e, assim como o Vasco, assustando na parte defensiva. Apesar da superioridade, não parecia ser o dia do Fluminense. Talvez a última rodada não combinasse com a mais vitoriosa, a número um, a primeira das equipes nacionais em 2012. Simplismente não combinava.

Aos 6 minutos, Samuel recebeu em velocidade, driblou Renato Silva e o goleiro Alessandro mas bateu de cabeça baixa, e Douglas cortou de cabeça em cima da linha. Chance inacreditável desperdiçada e dá-lhe bronca de Abel, para não perder o costume. Depois do lance, uma escassez momentânea de futebol se fez presente no Engenhão. Escassez que teve seu fim em oportunidade para o Vasco, com Marlone. Aos 19 minutos, o meia recebeu em boas condições na área mas errou o drible.

Sorte da "turma da fuzarca" que Éder Luís, talvez o jogador mais criticado por suas atuações em 2012, resolveu dar as caras e relembrar aos torcedores (e à diretoria) do que era capaz. Erro de marcação da defesa tricolor e entrada do camisa 7 em velocidade pelo meio de zaga, desvio sutil na saída do goleiro e placar aberto para o Vasco, aos 25 minutos.

Dois minutos depois, muita reclamação dos jogadores do Fluminense em jogada de Higor pela direita. O garoto partiu pra cima de Fabrício - ocupando o lugar de Feltri, substituído - e passou, sendo tocado na sequência, já dentro da área. O árbitro Grazianni Maciel, bem perto do lance, mandou seguir.

O que poderia escrever o capítulo do gol tricolor na história da partida acabou virando intervalo na atuação de Éder Luís. Aos 32, o atacante puxava contra-ataque e até conseguiu o primeiro drible, mas depois prendeu demais e errou passe de alguma facilidade - mostrando que não havia "abandonado" totalmente o "estilo" de 2012. Mas aos 35, arrancada característica e gol com direito a corte na marcação de Elivélton, recebendo lançamento de Auremir e ampliando para o Vasco.

O time das Laranjeiras ainda diminuiu aos 45, com Thiago Carleto cobrando pênalti de Douglas em Marcos Junior. Mas já era tarde demais. Uma fina chuva já caía no estádio e, diante dos surpreendentes acontecimentos - que tornam o futebol apaixonante -, quem dirá que ela não veio para começar a lavar as marcas de 2012?

Relacionados