thumbnail Olá,
Ao Vivo

Campeonato Brasileiro

  • 26 de julho de 2012
  • • 21:00
  • • Engenhão, Rio de Janeiro
  • Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro
  • • Público total: 8184
0
TF
0

Flamengo 0 x 0 Portuguesa: em jogo muito fraco, centroavantes falham nas poucas chances criadas em levantamentos e jogo termina empatado

Flamengo 0 x 0 Portuguesa: em jogo muito fraco, centroavantes falham nas poucas chances criadas em levantamentos e jogo termina empatado

Alexandre Loureiro/VIPCOMM

Portuguesa e Flamengo fazem partida com 65 erros de passe e pelo menos uma chance clara desperdiçada para cada lado: Love pelo Fla e Diego Viana pela Lusa.

Na noite desta 5ª feira, Flamengo e Portuguesa empataram pelo placar de zero a zero, pela 12ª rodada da Série A do Brasileirão.  Em jogo com poucas jogadas criadas, cruzamentos na área sobressaíram como principais chegadas perigosas. Após a estreia do técnico Dorival Júnior, o Flamengo chegou aos 16 pontos e se manteve na 10ª colocação, enquanto a Portuguesa se manteve na zona de rebaixamento, mas na 17ª posição. No próximo final de semana, o time santista recebe o Náutico no Canindé, enquanto o Flamengo vai ao Morumbi pegar o São Paulo, também no domingo.

Em primeiro tempo fraco tecnicamente, Lusa assusta Flamengo

 
Geninho mudou seu time desde a última partida, quando empatou em um a um com o Corinthians, e escalou a Portuguesa com três zagueiros para pegar o Flamengo no Engenhão, na estreia do treinador Dorival Júnior. Do outro lado, o interino Jaime de Almeida voltou com Welinton ao time titular, além de promover a entrada do meia Mattheus - filho do tetracampeão Bebeto - dividindo a armação das jogadas com o garoto Adryan e e Ibson, chegando mais de trás.

Apesar de ter mais a posse da bola, o time da casa não conseguia chegar com efetividade. Vagner Love de costas para o gol e bem marcado, além de cruzamentos na área pouco povoada foram táticas constantes do time no primeiro tempo. Aos 5, Adryan passou bem pela marcação e cruzou bem para Love, que cabeçeou nas mãos de Dida - bem colocado. Aos 12, a chance mais clara dos primeiros quarenta e cinco minutos: Love sai com bastante espaço e só tem Dida à sua frente, mas adianta demais e vê o ex-goleiro do Milan de 37 anos sai com agilidade e travar a finalização.

Após a boa chance perdida pelo centroavante do Flamengo, o jogo ficou cozinhando em fogo baixo. Poucas chances para os dois lados, com ligeiro domínio dos rubro-negros. Mas a Lusa equilibrou a partida, e, após boa troca de passes na direita de ataque, Luiz Ricardo achou Ricardo Jesus dentro da área. O atacante bateu no alto e bola carimbou o travessão de Paulo Vitor, que pulou mas não alcançaria. Nos próximos três minutos, mais dois bons momentos da Portuguesa: bola rolada para Ricardo Jesus, que caiu e pediu pênalti após carga de Welinton, sem efeito para o árbitro; e com Luiz Ricardo, que passou por três marcadores em velocidade e bateu de direita, levando perigo ao gol do Fla.

Sem ter levado o gol, o time da casa retomou o domínio e teve novamente com Love a chance de abrir o placar. Cruzamento de Adryan em cobrança de falta e Love - livre, dentro da pequena área - mandou por cima da meta de Dida, em chance incrível desperdiçada. Sem sucesso em suas empreitadas, as duas equipes fizeram um jogo disputado no meio até o fim do primeiro tempo.

Mais experientes entram e Flamengo quase sai de campo derrotado

Dorival Júnior fez valer sua posição no banco de reservas e sua primeira substituição saiu logo no intervalo: Renato Abreu no lugar de Ibson. Com a Portuguesa bem fechada, o técnico do Flamengo mirava os chutes de longa distância do meia e também dar mais liberdade a Adryan e Mattheus, na armação.
A medida não surtiu muito efeito, já que a primeira boa oportunidade da segunda etapa só saiu aos 14, mas pelo menos com o próprio Flamengo. Após boa jogada ofensiva, Mattheus bateu colocado da entrada da área de conhota e a bola passou bem perto do ângulo direito de Dida. Logo depois, o meia foi substituído por Thomás.

Dando continuidade ao jogo fraco desenvolvido na primeira etapa, as equipes não conseguiam criar oportunidades, apesar de Thomás ter entrado bem pelo lado esquerdo de ataque. A Portuguesa, muito mal organizada em campo, rifava a maioria das bolas e tinha grande dificuldade em trocar uma quantidade razoável de passes seguidos. No time da casa, a imensa falta de criatividade no meio-campo, que se agravou com a saída de Adryan e entrada de Botinelli.

Leonardo Moura retratou bem a partida em lance aos 37: sem opções, ele partiu para o drible contra dois marcadores, rodou e esperou a falta, mas ela não veio e o lateral acabou desarmado. Pelo lado da Portuguesa, Luiz Ricardo, um dos mais lúcidos em campo, passou mais uma vez por Ramon mas bateu fraco, aos 39. Três minutos depois, Diego Viana desperdiçou mais uma: após cobrança de falta, ele testou dentro da pequena área, na segunda trave, mas a bola acabou indo pra fora.

Mais uma partida ruim de ambas as equipes, com 65 passes errados ao todo no jogo, que não poderia ter resultado em outro placar: zero a zero gelado, que não acompanhou o bonito dia na cidade do Rio de Janeiro.

Relacionados