thumbnail Olá,
Ao Vivo

Jogos Olímpicos

  • 29 de julho de 2012
  • • 11:00
  • • Old Trafford, Manchester
  • Árbitro: Y. Nishimura
  • • Público total: 66212
3
TF
1

Brasil 3 x 1 Bielorrússia: Seleção supera susto inicial e garante classificação antecipada

Brasil 3 x 1 Bielorrússia: Seleção supera susto inicial e garante classificação antecipada

google

Em Manchester, time de Mano Menezes dominou o duelo do início ao fim

Como manda o figurino. Depois de repetir as dificuldades iniciais da estreia, o Brasil conseguiu se impor sobre a Bielorrússia e venceu a segunda partida nos Jogos Olímpicos por 3 a 1, gols de Pato, Neymar e Oscar. Renan marcou o gol do adversário.

O resultado garante o Brasil já na próxima fase em Londres, deixando a disputa pela segunda vaga entre os bielorrussos e os egípicios, que jogam em Glasgow na quarta-feira, às 10h30m. No mesmo dia 1º e na mesma hora, em Newcastle, a Seleção encara a Nova Zelândia.

Deja vu

Assim como aconteceu na estreia, o Brasil iniciou a partida de maneira desorganizada, sendo claramente surpreendido pela ousadia de seu adversário. Desta vez, porém, a punição foi pior: Kozlov recebeu com espaço na direita e cruzou. Renan, o camisa 10 naturalizado da Bielorrússia, cabeceou no chão, tirando de Neto e fazendo 1 a 0. Pouco depois, porém, Hulk dividiu com o goleiro Gutor após passe em profundidade, prova de que a Seleção estava entrando no jogo.

O gol de empate não demorou muito para sair: Neymar recebeu na esquerda aos 15 minutos, cortou para o meio e colocou na área. Pato apareceu no miolo da defesa e testou para as redes. Já no lance seguinte, Renan chutou de longe com perigo, dando a tônica de um duelo bastante disputado: se os bielorrussos jogavam atrás, e saíam com um bom numero de jogadores, o Brasil encontrava espaços na defesa através da habilidade de seus componentes.

Nos minutos finais da primeira etapa, a Seleção conseguiu se impor, mas não evitou uma bom contragolpe que quase recolocou o adversário em vantagem: Kornilenko recebeu passe em profundidade, limpou Juan e chegou perto do gol de Neto, mas demorou demais e permitiu à defesa se recompor. Já o Brasil apostou em Hulk, que levou perigo em dois chutes de média distância.

Virada ao natural

O segundo tempo começou como o primeiro se encerrou: a Seleção crescia frente a um adversário cada vez mais recuado, que tentava fazer o tempo passar quando tinha a posse de bola. Frente à dificuldade para entrar na área, a solução foi apelar para o talento individual: Oscar partiu sozinho pelo meio e viu seu chute de longe passar perto. Na sequência, aí sim um lance coletivo, com Marcelo. O ala chegou no fundo e cruzou para Pato, que desviou para o meio e quase achou um companheiro em condições.

Foi aí que Neymar resolveu aparecer de vez para o jogo. Saindo do lado esquerdo, o camisa 11 passou a frequentar outros espaços do gramado, confundindo a marcação e levando problemas para a defesa. Em uma destas vezes, foi sofrer uma falta quase no canto direito da área bielorrussa. Ele mesmo se apresentou para a cobrança e caprichou: bola no lado do goleiro Gutor, que se atirou mas não evitou a virada. Brasil 2 a 1.

A Bielorrússia tentou sair para o jogo na reta final, colocando mais um atacante, mas não foi o suficiente. A Seleção continuou encontrando espaços em lances individuais, que rendeu frutos apenas no último lance: Neymar recebeu passe em profundidade, cortou para o meio e deu um lindo toque de calcanhar para Oscar, que bateu firme de dentro da área para selar a vitória e a classificação verde-e-amarela.
        

Relacionados