thumbnail Olá,
Ao Vivo

Copa da Liga

  • 11 de dezembro de 2012
  • • 17:45
  • • Coral Windows Stadium, Bradford, West Yorkshire
  • Árbitro: M. Dean
  • • Público total: 23971
1
PEN
1

Bradford City venceu por 3 - 2 nos pênaltis

Bradford 1 (3) x (2) 1 Arsenal: Gunners arrancam empate no final, pressionam e caem fora da Copa da Liga nos pênaltis

Bradford 1 (3) x (2) 1 Arsenal: Gunners arrancam empate no final, pressionam e caem fora da Copa da Liga nos pênaltis

Getty Images

Belga Vermaelen foi de herói a vilão, ao levar o jogo para o tempo extra e desperdiçar a cobrança decisiva da marca da cal

O Arsenal tinha tudo para conseguir a classificação às semifinais da Copa da Liga Inglesa: pressionou o jogo inteiro, levou a disputa para a prorrogação nos minutos finais e até buscou uma reação nas disputas por pênaltis após largar em desvantagem. Mas a cobrança de Vermaelen, que acertou a trave, terminou com o sonho gunner de levar de levar essa taça, que não é levantada pelos londrinos desde 1993. Os gols da partida, que terminou em 1 a 1 no tempo normal, foram anotados por Thompson e pelo próprio Vermaelen.

Domínio gunner? Gol do Bradford

Sem se intimidar, o Bradford tentou responder às primeiras investidas do time londrino na mesma moeda: Wells ganhou vantagem sobre Vermaelen em lance irregular e forçou Szczesny a fazer a primeira boa defesa da partida, logo aos 5 minutos. O time visitante não ligou para a ousadia do time listrado e aos poucos estabeleceu o domínio da partida, com lances rápidos que exploravam a criatividade e os passes do espanhol Cazorla.

O certo era que os favoritos logo inaugurassem o marcador. Mas futebol não respeita a lógica: aos 16 minutos, Atkinson cobrou falta da direita, e um desvio de um jogador do Bradford no meio da área ajudou a bola chegar ao segundo pau para Thompson se esticar e mandar a bola para as redes, para a alegria da torcida presente no Windows Stadium.

O quadro mudou rapidamente a partir de então: os pequenos se fecharam atrás e só exploravam esporádicos contragolpes a partir dos erros do Arsenal que, por sua vez, tinha volume de jogo, mas nenhuma chance clara de gol. Depois de muito levantar cruzamentos infrutíferos em direção à área, o Arsenal colocou a bola no chão e teve chances: Coquelin fez jogada individual aos 38 minutos e acertou o poste do goleiro Duke, pouco antes de Gibbs cruzar rasteiro e Gervinho, por pouco, não empatar o placar.

No sufoco

Antes do intervalo, os anfitriões quase ampliaram a vantagem em finalização de Wells que triscou a trave de Szczesny, dando a impressão que o segundo tempo poderia ser cheio de alternativas. Não foi. Os Gunners diminuíram a velocidade do toque de bola e facilitaram o trabalho da defesa do Bradford, que a cada bola afastada pelo alto ia fazendo o relógio correr e trazendo o sonho da classificação para mais perto.

Wilshire chutou de fora da área com dez minutos do fim e Duke fez uma das raras defesas no segundo tempo inteiro, e Chamberlain também teve boa chance em jogada rápida. De tanto insistir, enfim, o gol veio. A dois minutos do fim, Cazorla pegou sobra do próprio escanteio que bateu, olhou para a área e mandou na cabeça de Vermaelen, forçando a prorrogação. Nos acréscimos, o espanhol finalizou duas vezes e fez Duke trabalhar, mas o arqueiro garantiu a realização do tempo extra.

Cazorla e Vermaelen, heróis e vilões

Cérebro da equipe, Cazorla continuou envolvido nos principais movimentos de ataque dos Gunners ao longo dos 30 minutos: ora servindo Gibbs, que forçou Duke a uma das boas intervenções que fez na prorrogação, ora ele mesmo chutando, como quando acertou o travessão aos quatro minutos da segunda etapa extra. Mas o jogo foi para os pênaltis.

O curioso é que o espanhol, considerado um dos melhores cobradores do time londrino, perdeu sua cobrança e viu o Bradford abrir 2 a 0 de vantagem, já que Chamakh também errou. Szczesny chegou a dar novo ânimo aos Gunners ao evitar o pênalti cobrado por Jones quando o escore marcava 3 a 2. Em vão: Vermaelen, que havia sido o heroi do tempo normal, mandou na trave e fez o pequeno time do interior inglês sonhar com vôos altos no certame.

Relacionados