thumbnail Olá,
Ao Vivo

Copa Libertadores da América

  • 30 de janeiro de 2013
  • • 22:00
  • • Estádio Hernando Siles, La Paz
  • Árbitro: W. Roldán
4
TF
3

São Paulo vence por agregado 8 - 4

Bolívar 4 x 3 São Paulo: Em ritmo de treino, São Paulo faz três, leva quatro e se classifica

Bolívar 4 x 3 São Paulo: Em ritmo de treino, São Paulo faz três, leva quatro e se classifica

Getty Images

Após marcar três vezes no primeiro tempo, time paulista diminui muito o ritmo e vê rivais virarem o jogo e sair dignamente da Libertadores.

Por Matheus Quelhas

São Paulo mostra superioridade e marca três vezes

No primeiro ataque tricolor, Luis Fabiano mandou, totalmente sem ângulo, um chute improvável quase da linha de fundo e conseguiu o escanteio. Foi o suficiente para que Jadson cobrasse e o próprio Fabuloso chegasse aos três gols na competição, ao marcar de cabeça o primeiro do São Paulo no jogo, com menos de dois minutos. A facilidade encontrada pelo time brasileiro espantava, e as chegadas na área com espaço se tornariam constantes durante a partida. Aos 5, Osvaldo receberia passe longo de Cortez pela esquerda e poderia ter dado o passe para o segundo gol de Luis Fabiano - livre na pequena área -, mas acabou mandando atrás do companheiro.

No ataque, porém, o Bolívar não ia tão mal. Apesar da pouca paciência para trabalhar a bola, o time boliviano mostrava alguma desenvoltura e habilidade na frente. Aos 10, Lizio aplicou drible desconcertante em cima de Denilson, que foi de carrinho para cortar o cruzamento. Na sequência o volante brasileiro tocou claramente com a mão na bola, mas o árbitro considerou o gesto involuntário, gerando muita reclamação por parte dos donos da casa.

Sem polêmica, o São Paulo estava preocupado em jogar futebol e aproveitar os espaços dados pelo adversário. Aos 15, Jadson marcou o segundo com extrema categoria, limpando a marcação na área e finalizando com precisão no canto direito do goleiro Argüello (assistência de Osvaldo). O Bolívar só voltou a assustar aos 21, quando Lizio bateu forte por cima da meta - o argentino era um dos melhores em campo por parte do time da casa.

Aos 29, Álvarez ajeitou o corpo e quase deu um presente para os torcedores no estádio Hernando Siles: mandou um chutaço em curva que carimbou a trave esquerda de Ceni - o goleiro do São Paulo nem pulou. Três minutos depois, Osvaldo perderia o gol em chance bem mais clara, após cruzamento de Douglas em novo contra-ataque paulista. Mas o atacante se redimiria logo depois, aos 34, quando aproveitou erro da defesa para fazer a triangulação com Luis Fabiano e Jadson e marcar um belo gol de perna canhota.

Um pouco displicente diante da facilidade encontrada no jogo, o São Paulo "retribuiu" na mesma moeda e entregou nos pés logo de Lizio na entrada da área, que deixou Pereira na boa para chutar no canto sem chances para Ceni e diminuir a diferença para dois gols.

Tricolor paulista para de jogar e vê Bolívar virar a partida de forma incrível

Com duas substituições logo no intervalo, o técnico Miguel Portugal dava mostras de que os donos da casa não se entregariam frente ao mal resultado até então e fariam de tudo para, ao menos, serem eliminados dignamente diante de sua torcida. Cardozo, um dos que entrou para a segunda etapa, teve boa participação. Aos 7, foi ele quem ganhou da marcação de Paulo Miranda pela direita e bateu forte já dentro da área, para boa defesa de Ceni. O goleiro brasileiro voltou a ter trabalho aos 11, quando Arce pegou de média distância e obrigou Rogério a espalmar pra fora.

Até que aos 13 saiu o segundo gol dos bolivianos. O zagueiro Cabrera estava na área e aproveitou o espaço dado por Cortez para o cruzamento vindo da direita, testando com firmeza sem chances para o goleiro do São Paulo. Logo depois, a saída de Osvaldo - um dos melhores tricolores em campo - para entrada de Cañete minou o contra-ataque são-paulino e chamou ainda mais os adversários para o campo de defesa da equipe brasileira. Dez minutos depois, o mesmo Cabrera apareceria para igualar o placar após cobrança de falta na área, de novo de cabeça.

Com 28 minutos, Ferreira dominou lançamento dentro da área e ia aplicando balão sensacional em Rhodolfo, mas o zagueiro não teve espírito esportivo e meteu a mão na bola. Pênalti e gol do próprio Ferreira, que cobrou com muita categoria no canto esquerdo de Ceni e sacramentou uma virada que parecia impossível na primeira etapa. O uruguaio ainda assustou em cobrança de falta aos 34, mas o time boliviano não teve força para buscar a classificação - ainda faltavam 5 gols.

Mesmo com a derrota, o São Paulo agora colhe os louros da goleada no Morumbi e se junta à Atlético Mineiro, Arsenal e The Strongest no grupo 3 da Libertadores. A estreia do tricolor paulista será contra o rival brasileirono dia 13 de fevereiro, em Belo Horizonte.

Relacionados