thumbnail Olá,
Ao Vivo

Primera Division

  • 9 de dezembro de 2012
  • • 18:00
  • • Estadio Benito Villamarín, Sevilla
  • Árbitro: Carlos Velasco Carballo
  • • Público total: 46157
1
TF
2

Betis 1 x 2 Barcelona: Em noite de recorde, Barça sofre para levar os três pontos

Betis 1 x 2 Barcelona: Em noite de recorde, Barça sofre para levar os três pontos

Getty

Com dois gols do argentino, que chegou aos 86 em 2012, o time catalão foi bastante pressionado na última etapa e por muito pouco não saiu com o empate de Sevilla.

Líder isolado do campeonato espanhol, com três pontos de vantagem sobre o segundo colocado Atlético de Madrid antes do início da partida, o Barcelona entrava em campo no estádio Benito Villamarín, em Sevilla, para Messi mais uma vez escrever seu nome na história. Antes do apito inicial, o argentino somava 84 gols em 2012, apenas um atrás do recordista de gols em um ano: Gerd Müller, com 85 em 1972, jogando pelo Bayern de Munique.

Domínio Culé e recorde argentino

Aos 2 minutos, porém, um susto. Campbell recebeu na frente em contra-ataque e cruzou na medida para Salva Sevilla, que chegou livre para cabecear mas mandou fraco, para alívio de Valdés, que fez a defesa. Após a chance dos donos da casa, a partida seguiu sob a batuta do Barça, que como de hábito possuía bem mais posse de bola. Com 10 minutos, baixa no time catalão: Fàbregas sentiu lesão e deu lugar a Alexis Sanchéz.

Seis minutos depois, Messi, que mal havia tocado na bola, recebeu na entrada da área, aproveitou momento de hesitação da zaga do Betis e levou para a perna canhota, batendo no cantinho esquerdo do goleiro Ádrian para chegar aos 85 gols em 2012 e igualar Müller em 1972. Aos 17, Iniesta quase amplia com um golaço. O camisa 8 do Barcelona viu o arqueiro adiantado e mandou um toque de classe, por cobertura, e Ádrian teve muito trabalho para voltar e mandar pra escanteio.

Trocando passes e ocupando o campo de ataque, o Barcelona não perdeu o embalo - Messi, menos ainda. Aos 24 minutos, um contra-ataque que ficaria para a história, puxado pelo próprio argentino. Ele adiantou para Iniesta e esperou atrás para receber, assistindo ainda a um belo toque de calcanhar do companheiro espanhol, digno da marca que estava por vir: chute no mesmo canto esquerdo do primeiro tento e gol de número 86 em 2012, ultrapassando Gerd Müller como recordista de gols em um ano.

O dois a zero com metade do primeiro tempo conferiu certa tranquilidade aos catalães. Aos 34, Xavi quase marcou em chute de fora da área bem perto do ângulo, em que o goleiro do Bétis realizou ótima defesa. Mas aos 39 a relativa tranquilidade, que o estádio lotado teimava em não aceitar, teve seu fim. Falha de Jordi Alba, que demorou a acompanhar a linha de impedimento, e gol de Rubén Castro, diminuindo a vantagem culé.

Betis pressiona muito mas não consegue o empate

Com 6 minutos, Salva cruzou da esquerda e Valdés quase foi enganado pela curva da bola, sendo salvo pelo travessão. No rebote, Rubén Castro chegou dividindo mas furou, e a bola ainda tocou na trave direita antes de Valdés segurar. Por muito pouco o time da casa não chegou ao empate logo no início. Dois minutos depois, Molina - que havia entrado no intervalo, substituindo Campbell - soltou um belo chute de fora da área, obrigando Valdés a realizar boa defesa.

Por várias vezes, as equipes pareciam ter seu papel no jogo invertido, com o todo poderoso Barça sendo pressionado na defesa e com muitas dificuldades de sair jogando. Aos 23, Adriano - marcado praticamente na linha de fundo de defesa - cedeu o escanteio e Beñat cobrou fechado. Mascherano desviou e a bola parou na trave de Valdés, que mostrou reflexo para virar e pegar a bola antes de um novo toque.

As únicas chances do Barcelona apareciam no contra-ataque, mas raramente as jogadas eram finalizadas, ora pela forte marcação imposta pelo Betis, ora pela falta de precisão no passe. Precisão esta que sobrou para Sanchéz descolar excelente passe longo para Pedro, aos 32, mas o espanhol, entrou na área e bateu em cima de Ádrian.

O troco dos donos da casa foi rápido e bem mais efetivo. Molina recebeu com espaço na área após contra-ataques por duas vezes seguidas, mas dominou mal. Na segunda oportunidade, conseguiu o escanteio. Depois da cobrança, Pozuelo pegou o rebote e mandou uma bomba de perna esquerda na junção da trave: era a terceira bola na trave, aos 34 minutos.

Incrivelmente, o Barcelona conseguiu responder exatamente na mesma moeda. Com o adversário se lançando a frente, cada vez mais espaço aparecia para o ataque catalão. Aos 37, Messi puxou contra-ataque e abriu para Thiago Alcântara. O brasileiro devolveu para o companheiro, que virou finalizando para linda defesa de Ádrian, ajudado pela trave direita. A bola subiu e no rebote, Jordi Alba acertou o travessão.

Já nos acréscimos, Messi recebeu na frente seguido de perto por dois marcadores e esperou a chegada de Thiago, em seu segundo lance no jogo. O brasileiro demorou para finalizar e acabou mandando pra fora, desperdiçando grande chance.

Relacionados