thumbnail Olá,
Ao Vivo

Brasileirão Série A

  • 5 de setembro de 2012
  • • 19:30
  • • Pituaçu, Salvador de Bahia, Bahia
  • Árbitro: Pablo Dos Santos Alves
  • • Público total: 19629
0
TF
0

Bahia 0 x 0 Atlético: Times criam pouco e gol não sai

Bahia 0 x 0 Atlético: Times criam pouco e gol não sai

Bruno Cantini - Atlético-MG

Equipes sentem falta de Ronaldinho e Gabriel e, criando muito pouco, não conseguem sair do 0 x 0. Resultado de jogo do Fluminense pode tirar o Galo da liderança.

Bahia e Atlético Mineiro demonstraram muita vontade. Porém, as ausências de Ronaldinho Gaúcho, no Galo, e Gabriel, pelo lado do Bahia, foram determinantes para a ausência de gols da partida. O 0 x 0 deixa as duas equipes em situação desconfortável.

Com 45 pontos, o Galo mantém-se na primeira colocação, mas pode ser ultrapassado pelo Fluminense em caso de vitória dos cariocas sobre o Santos, nessa quinta, às 21 horas. Já o Bahia, que chegou aos 24 pontos, ainda vê a zona de rebaixamento muito próxima, na 15ª colocação.

Muita correira e pouca criação

Os dois times pisaram no gramado do Estádio de Pituaçu em momentos curiosos. Apesar de líder, o Galo vinha há três jogos sem vitória, já o Bahia, na parte de baixo da tabela, ainda não tinha perdido pontos no returno do Brasileirão.

Com ambos os lados precisando do resultado favorável, o jogo começou aberto. As equipes valorizavam a posse de bola, mas quando qualquer um dos ataques aproximava-se da área, quem levava a melhor eram as defesas.

Sendo assim, as chances de gol ficaram muito reduzidas. Pelo lado do Bahia, a melhor chegada foi em passe de Souza para Lulinha dentro da área, que Vitor abafou com segurança, aos 19 minutos. No lance seguinte, o Galo quase marcou. Guilherme centrou e Escudero raspou de cabeça. Na sobra, Bernard, livre, mandou por cima do gol.

Aos 45, Leonardo também teve a oportunidade de abrir o marcador. Contudo, após o desvio do cruzamento de Bernard, a bola subiu demais e foi para fora.

Cuca mexe no esquema tático e Galo melhora

Na volta do vestiário, o jogo, antes muito movimentado, perdeu intensidade. Atentos ao fato, os dois treinadores resolveram mexer em suas equipes. Pelo lado do Bahia, Jorginho lançou Caio e Claudio Pitbull. Já no alvinegro, entraram Neto Berola e Serginho.

Enquanto as alterações realizadas pelo técnico tricolor deixaram seu time mais pesado e sem meias de criação, as mudanças operadas por Cuca tornaram sua equipe melhor.

Com a saída de Leonardo, o meia Escudero foi deslocado para o comando de ataque e Guilherme passou a atuar mais centralizado.

Em sua nova posição, o armador subiu de produtividade e passou a servir seus companheiros com mais frequência. Porém, o crescimento do Galo não foi suficiente para suplantar a bem postada zaga do Tricolor da Boa Terra.

Aos 44, a melhor chance atleticana. Fahel aliviou mal o escanteio da esquerda, a bola sobrou para Serginho, que limpou a marcação e bateu firme, por cima do gol. Final de jogo e empate ruim para os dois lados.

Relacionados