thumbnail Olá,
Ao Vivo

Campeonato Brasileiro

  • 23 de setembro de 2012
  • • 18:30
  • • Estádio Raimundo Sampaio, Belo Horizonte, Minas Gerais
  • Árbitro: Heber Roberto Lopes
  • • Público total: 19668
0
TF
0

Atlético-MG 0 x 0 Grêmio: duelo disputado termina sem gols em Belo Horizonte

Atlético-MG 0 x 0 Grêmio: duelo disputado termina sem gols em Belo Horizonte

Bruno Cantini/Atlético

Marcelo Moreno e Guilherme perderam as melhores oportunidades para darem a vitória a suas equipes

Gols perdidos, defesas e muita garra foram alguns dos elementos que marcaram o esperado duelo entre Atlético Mineiro e Grêmio neste domingo, no Independência. O encontro entre dois protagonistas do Brasileirão 2012, no entanto, terminou sem o grito de gol, sem alterar muito o cenário do topo da tabela.

Após 26 rodadas, o Galo fica com 52 pontos e mantém a distância de três para o Tricolor gaúcho. Os mineiros encaram o Flamengo na quarta-feira, em jogo atrasado do primeiro turno, no Engenhão, às 22h.

Já o Grêmio tem compromisso pela Copa Sul-Americana no mesmo dia e horário: é contra o Barcelona de Guayaquil, no Equador.

Emoções de sobra

Não foram necessários muitos movimentos para se saber que o primeiro tempo seria eletrizante. Em quatro minutos, Kléber já tinha uma chance para abrir o marcador após vacilo da zaga atleticana, e Carlos César chutava à direita de Grohe em tentativa da entrada da área. Um pouco depois, aos oito minutos, enfim a primeira intervenção de um dos goleiros: Leandro Donizete arriscou de longe, a bola pegou efeito e Grohe precisou espalmar. Na sequência, Leo Silva teve chance pelo alto, mas acabou facilitando a vida do arqueiro tricolor.

O ritmo do Galo foi se intensificando com o passar dos minutos, e Guilherme perdeu a primeira grande oportunidade da partida aos 11 minutos, ao finalizar sozinho na área após grande jogada de Ronaldinho pelo meio. Este aparente domínio não era particularmente sentido pelo Grêmio, que tentava suportar a força ofensiva do adversário enquanto procurava se mandar para o jogo. Mas o momento era dos alvinegros, que até bola na trave tiveram, em chute forte de Carlos César aos 24 minutos.

As melhores chances dos gaúchos saíam das bolas paradas, momento em que era possível dar uma folga ao ímpeto atleticano. Aos 20 minutos, Werley desviou de cabeça após falta batida por Elano. Guilherme teve outra boa chance para marcar perto dos 40, mas demorou para dominar o lançamento de Réver e se complicou.

No fim, os gaúchos ainda tiveram duas ótimas chances: primeiro, Elano cobrou falta em curva e acertou a junção das traves, Souza apanhou a sobra e finalizou mal, perdendo um grande momento.

Poxa vida, Moreno...

Os tricolores conseguiram corrigir os erros da primeira etapa e voltaram melhores do intervalo. A primeira chance, no entanto, foi do Galo, quando Leonardo acionou Bernard em profundidade e Grohe apareceu na hora certa para cortar. Depois disso, as ações se intercalaram com chances na bola parada; nada, porém, que justificasse a vantagem para um ou outro lado.

Perto dos 20 minutos, os gaúchos tiveram seu melhor momento na partida, criando duas oportunidades em sequência: a primeira, com Zé Roberto, acabou no bom corte de Carlos César; depois, com Marcelo Moreno, que ficará se lamentando por algum tempo. Depois do erro na saída de jogo de Victor e Richarlyson, Pará arrancou pela direita e aproveitou o fato do arqueiro estar fora do gol para rolar para o boliviano que, completamente livre, chutou ao lado da trave.

Dos trinta minutos em diante, porém, as chances ficaram escassas em virtude da correria imposta pelas duas equipes. O Galo até chegou mais perto, mas Neto Berola exagerou na simulação em alguns lances e desperdiçou as melhores chances.
      

Relacionados