Goal.com - Home

thumbnail Olá,
 
Disputada
novembro 6, 2012 5:45 PM BRST
Estadio Santiago Bernabéu — Madrid
Árbitro:‬ C. Çakιr‎
Público total:‬ 74932‎
 
34′ Pepe
Marco Reus 28′
89′ Mesut Özil
Arbeloa 45′ (GC)
Melhor em campo
Marco Reus
Marco Reus
Borussia Dortmund
Mesut Özil
Mesut Özil
Real Madrid
O Pior em campo
Arbeloa
Arbeloa
Real Madrid
Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo
Real Madrid

Real Madrid 2 x 2 Borussia Dortmund: Em duelo de técnicos, empate é resultado justo

Após derrota no 1º tempo, Mourinho muda no intervalo e faz a diferença. Os gols foram marcados por Reus, Arbeloa (contra), Pepe e Özil.

Por Matheus Quelhas

Sebastian Kehl ante Xabi Alonso, durante el Real Madrid-Borussia Dortmund
Getty Images
Em jogo de altíssimo nível técnico, Real Madrid e Borussia Dortmund empataram jogando no Santiago Bernabéu. Com os resultados da rodada, que também teve um empate entre Manchester City e Ajax na Inglaterra, o Real segue na segunda colocação do grupo D, com 7 pontos, que é liderado pelo Borussia, com 8.

Esquema merengue não funciona e alemães são superiores

As lesões obrigaram o técnico José Mourinho a escalar um sistema defensivo bem diferente do que normalmente usa. Com Arbeloa na lateral esquerda, Sergio Ramos na direita e Varane na zaga central, a defesa merengue dava muito espaço aos atacantes alemães.

Do lado do Borussia, o treinador Jurgen Klopp escalou um meio campo com cinco jogadores - para congestionar a armação do Real - sendo três deles meias, incluindo os habilidosos Marco Reus e Mario Götze.

Tentando sair na frente no placar, o time da casa parou na forte marcação imposta pelo Borussia e viu os alemães terem a primeira chance clara de marcar, logo aos 9 minutos. Schmelzer entrou livre pela esquerda e recebeu nas costas de Sergio Ramos já dentro da área. O lateral bateu forte, no canto de Casillas, que impediu o primeiro gol com os pés. Aos 13 foi a vez de Grosskreutz receber na entrada da área e bater cruzado, para nova boa defesa do goleiro do Real.

Os merengues só responderam aos 21, em falha de marcação da equipe de Jurgen Klopp. Higuaín deixou o comando de ataque para receber lançamento livre pela direita e cruzar na medida para Cristiano Ronaldo, que cabeceou direto pra fora, desperdiçando a primeira boa chande do Real Madrid.

Mas aos 28 minutos a superioridade tática do Borussia, que seguia impedindo as jogadas ofensivas do time de Mourinho com uma forte marcação no meio, se traduziu em gol. Lewandowski desviou lançamento longo de cabeça, Reus recebeu em velocidade e mandou um chutaço em cima de Casillas, que aceitou: um a zero Borussia.

Jogando com sua costumeira formação ofensiva, com Ozil pelo meio, Dí Maria pela direita, Cristiano Ronaldo pela esquerda e Higuaín no comando de ataque, os espanhóis encontravam extrema dificuldade para criar jogadas. Entretanto, numa partida de Liga dos Campeões a determinação pode fazer a diferença. Após cobrança de escanteio, o Real conseguiu ficar com a sobra e abriu para Özil, que cruzou para Pepe subir muito alto e testar com firmeza, empatando a partida seis minutos depois, aos 34.

O tento deu ânimo extra para os donos da casa, mas não abalou em nada o ímpeto dos alemães, que seguiram com o controle do jogo e não permitindo jogadas mais trabalhadas do Real Madrid, principalmente pelo meio. Foi nesse contexto que pouco antes do fim da primeira etapa o time visitante chegou ao segundo gol.

Lewandowski escorou de cabeça lançamento do goleiro Weidenfeller, dessa vez para a chegada de Grosskreutz, que percebeu a entrada de Gotze e tocou para o meia. Ele dominou em velocidade na cara do gol e tocou por cima de Casillas, marcando um golaço, que acabou sendo creditado para Arbeloa, que chegou dividindo com o meia alemão, em lance que encerrou a primeira etapa.

Mourinho muda, Real volta com tudo mas para em "muralha" alemã
 
Com Callejón no lugar de Higuaín e Essien na vaga de Modric, o técnico português buscou reparar a marcação que deu espaços ao Borussia na primeira etapa, assim como dar mais mobilidade ao ataque merengue, que ficou engessado entre as linhas de defesa e meio alemãs no primeiro tempo.

E se a opção pela manutenção de Kaká no banco de reservas pode ter gerado reclamações dos torcedores brasileiros, as substituições começaram a se mostrar eficientes logo no primeiro minuto após o intervalo. Dí Maria lançou Callejón, que em seu primeiro toque na bola, dominou e bateu no canto. Seria o empate, não fosse o impedimento milimétrico marcado a favor da defesa alemã.

As mudanças deram outra cara ao time espanhol, que passou a chegar com perigo à área do Borussia, sempre com Callejón, Cristiano Ronaldo e Dí Maria (com as substituições, Özil passou a atuar pelo lado direito). Aos 14 minutos, CR7 enfiou linda bola para Callejón, que demorou para dominar o bastante para Weidenfeller sair com muita agilidade e bloquear o chute de dentro da área.

A partida seguiu bem diferente do primeiro tempo. Agora, o Real controlava as ações enquando o Borussia buscava a saída nos contra-ataques - que ainda eram armados com certo perigo pelos visitantes. Sem conseguir criar mais chances, Mourinho partiu para o "tudo ou nada" ao tirar Arbeloa e lançar Kaká, aos 31 minutos.

Jogando pelo meio, o brasileiro por pouco não arma a jogada do empate merengue. Ele arrancou com a bola e abriu para Özil, que cruzou para Cristiano Ronaldo chegar completando na pequena área em cima de Weidenfeller, que impediu o tento. No rebote, Kaká chegou dividindo com a zaga e não conseguiu completar para o gol.

Sem Reus e Götze, ambos substituídos, o Borussia já tentava segurar o resultado de qualquer maneira, se fechando na defesa. Aos 40 minutos, após confusão dentro da área, a finalização de Callejón entre cinco jogadores alemães venceu o goleiro Weidenfeller, mas parou em Grosskreutz, que salvou em cima da linha.

A última chance do Real viria em cobrança de falta, aos 43 minutos. O português Ronaldo já havia mandando uma na barreira alguns minutos antes, então foi a vez de Özil chamar a responsabilidade. O meia não titubeou e cobrou com perfeição, por cima da barreira e no pé da trave esquerda de Weidenfeller, que achou que ela ia pra fora e viu a vitória escapar por entre os dedos do atual campeão alemão.


Real Madrid

1
Iker Casillas
Goleiro
2.00
2
Raphaël Varane
Defensor
2.50
3
Pepe
Defensor
34′
3.00
4
Sergio Ramos
Defensor
2.50
17
Arbeloa
Defensor
45′ 77′
2.00
11
Mesut Özil
Meio-campista
34′ 89′
3.00
14
Xabi Alonso
Meio-campista
3.00
19
Luka Modric
Meio-campista
46′
2.50
22
Ángel Di María
Meio-campista
3.00
7
Cristiano Ronaldo
Meio-campista
3.00
9
2.50

Borussia Dortmund

3.00
1
3.50
4
3.50
15
3.00
26
3.00
29
3.50
5
Sebastian Kehl
Meio-campista
3.00
8
Ilkay Gündogan
Meio-campista
80′
3.50
19
Mario Götze
Meio-campista
91′
3.50
11
Marco Reus
Meio-campista
28′ 74′
3.00
19
Kevin Großkreutz
Meio-campista
57′
3.00
9

Reservas

1
Adàn
Goleiro
 - 
2
 - 
33
 - 
18
 - 
-
Michael Essien
Meio-campista
46′
3.50
22
Kaká
Meio-campista
77′
3.00
7
3.50

Reservas

 - 
20
 - 
24
Chris Löwe
Defensor
 - 
5
3.00
6
Sven Bender
Meio-campista
74′
3.00
8
Moritz Leitner
Meio-campista
91′
3.00
9
Ivan Perisic
Meio-campista
80′
 - 
23

Técnico/Treinador

-
 - 

Técnico/Treinador

 - 
-
 
  • Gol
  • Gol Contra
  • Pênalti
  • Pênalti desperdiçado
  • Cartão Amarelo
  • Assistência
  • Pênalti defendido
  • Pênalti convertido
  • Pênalti desperdiçado
  • Cartão Amarelo / Cartão Vermelho
  • Cartão Vermelho
  • Entra
  • Sai
  • Lesão
  • Nota do Goal.com
  • Melhor em Campo para o Goal.com
  • Pior em Campo para o Goal.com
  • Ranking Melhores & Piores
  • Melhor em Campo para os Fãs
  • Pior em Campo para os Fãs
Artilheiros
Jogador   Gols Pênaltis
Cristiano Ronaldo Cristiano Ronaldo
Atacante
Real Madrid
14 1
Zlatan Ibrahimovic Zlatan Ibrahimovic
Atacante
PSG
10 1
Lionel Messi Lionel Messi
Atacante
Barcelona
8 2
Diego Costa Diego Costa
Atacante
Atl. Madrid
7 0
Sergio Agüero Sergio Agüero
Atacante
Manchester City
6 2